Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Autarcas de Apúlia e Fão preocupados com circulação de peões na EN13
Julho e Agosto invertem ritmo descendente no comércio local de Braga

Autarcas de Apúlia e Fão preocupados com circulação de peões na EN13

Parque Desportivo da Rodovia inaugurado a 24 de Agosto

Cávado

2018-02-12 às 06h00

José Paulo Silva

Presidente da União de Freguesias exige melhores condições para circulação pedonal entre Apúlia e Fão junto à estrada nacional.

O presidente da União de Freguesias de Apúlia e Fão está preocupado com a falta de condições de segurança para a circulação de peões no troço da estrada nacional 13 entre aquelas duas localidades. Luís Peixoto defende uma acção muito forte junto da Infraesturas de Portugal para a criação de passeios em algumas partes daquela via de grande intensidade de tráfego.
Na cerimónia de lançamento da primeira pedra de uma ecovia que vai ligar Fão e Apúlia, o autarca local chamou a atenção para as más condições que a nacional 13 apresenta para a circulação pedonal, nomeadamente em zonas de grande fluxo como são os troços entre o cemitério de Fão e a loja da cadeia Lidl e entre Paredes e Criaz.

A existência de valas de escoamento de águas nas bermas daquela estrada nacional é uma das preocupações dos autarcas de Apúlia e Fão, que solicitam também o empenho da Câmara Municipal de Esposende na acção de pressão sobre o instituto público que gere aquela via.
Na cerimónia de lançamento da primeira pedra do troço da ecovia Fão-Apúlia, Luís Peixoto manifestou também preocupação com o fenómeno do estacionamento automóvel abusivo nas duas vilas durante o Verão, altura que as praias locais são procuradas por muitos milhares de pessoas.
A União de Freguesias de Apúlia e Fão está a projectar uma campanha de sensibilização junto dos automobilistas, na tentativa de combater o estacionamento em faixa de rodagem e nos passeios e de outras situações irregulares que, para além de uma má imagem que dão das duas estâncias balneárias, condicionam a circulação de peões e, de forma agravada, de pessoas com mobilidade reduzida.

O presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, reconhece a gravidade deste problema e defende que o mesmo só poderá ser resolvido de forma definitiva com alguma abertura dos responsáveis do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) para a criação de zonas de estacionamento temporárias, durante a época balnear, junto às praias entre Fão e Apúlia.
Uma vez que a zona em questão tem limitações decorrentes do facto de fazer parte do Parque Natural do Litoral Norte, Benjamim Pereira adverte que as áreas de parqueamento automóvel a criar não implicariam construções ou colocação de pisos.
O edil esposendense entende também que o estacionamento abusivo nas faixas de rodagem e nos passeios dá uma imagem errada do concelho que é necessário contrariar.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.