Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Autarca de Barcelos denuncia que suspeita chega a ser ridícula
Juniores do SC Braga campeãs regionais de voleibol

Autarca de Barcelos denuncia que suspeita chega a ser ridícula

O papel decisivo da Europa na aproximação à Eurorregião no centro do debate

Autarca de Barcelos denuncia que suspeita chega a ser ridícula

Casos do Dia

2019-10-04 às 10h00

Redacção Redacção

Presidente da Câmara de Barcelos afirma que a suspeita de que é alvo “chega a ser ridícula” e antevê que as “suspeições cairão como um castelo de cartas” numa comunicação que enviou à Assembleia Municipal

O presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes, em prisão domiciliária no âmbito da “Operação Teia”, considera ser alvo de uma suspeita que “chega até a ser ridícula” e manifesta-se convicto de que o processo "nem irá a julgamento".
Numa comunicação que fez ler na última Assembleia Municipal, e a que a Lusa teve ontem acesso, Miguel Costa Gomes (PS) diz que as suspeições “cairão como um castelo de cartas” e faz um duro ataque ao sistema judicial, sobretudo ao Ministério Público, acusando-o de, servindo-se da “voracidade informativa instantânea”, actuar de uma forma “persecutória” em relação à classe política, para “mostrar serviço” no que toca ao combate à corrupção.
Miguel Costa Gomes está em prisão domiciliária desde 3 de Junho, indiciado dos crimes de corrupção passiva e de prevaricação, no âmbito da “Operação Teia”.
Na comunicação lida na Assembleia Municipal, o autarca de Barcelos sublinha que é muito reduzida a taxa de processos por corrupção que resultam numa acusação por parte do Ministério Público e socorre-se de recentes declarações do líder do PSD, Rui Rio, para condenar os julgamentos “nas tabacarias e nos ecrãs de televisão”.
“É absolutamente inadmissível”, refere Costa Gomes.
Em relação às suspeições de que é alvo, e que levaram à aplicação da medida de coacção de prisão domiciliária, com vigilância electrónica, o autarca classifica-as de “infundadas”, “completamente insustentáveis” e “ridículas”.
Segundo descreve, é suspeito de ter beneficiado a empresária Manuela Couto a troco de favores políticos por parte do marido, Joaquim Couto, ex-presidente da Câmara de Santo Tirso.
Especifica que é suspeito de, em troco do benefício à empresária, ter tido o apoio de Joaquim Couto para eleger Manuel Mota como presidente da concelhia de Barcelos do PS, para obter o número de telemóvel do secretário de um secretário de Estado e para ganhar uma eventual corrida à liderança da Federação Distrital de Braga do PS.
“Em rigor, é nada”, sublinha Costa Gomes.
Acusou ainda o juiz de instrução criminal de lhe ter sugerido, “de forma implícita”, que renunciasse ao cargo de presidente da Câmara, aquando do interrogatório que culminou na aplicação da medida de coacção de prisão domiciliária.
Uma sugestão que o autarca rejeitou, por considerar que “o poder judicial não pode desfazer a vontade dos cidadãos expressa nas urnas”.
O juiz proibiu ainda Costa Gomes de contactar com os funcionários municipais.
No entanto, o autarca continua a governar o município a partir de casa, mantendo-se, como vinca na comunicação enviada à Assembleia Municipal, “em plenas funções”.
Na “operação Teia”, e além de Costa Gomes, são ainda arguidos o entretanto demissionário presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto, que ficou em liberdade mediante o pagamento de uma caução de 40 mil euros, e a mulher, a empresária Manuela Couto, que ficou em prisão domiciliária.
O outro arguido é o ex-presidente do Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto Laranja Pontes, que também ficou em liberdade mediante caução de 20 mil euros, e com suspensão das funções que exercia.
Laranja Pontes reformou-se entretanto.
O processo está relacionado com alegados favorecimentos às empresas de Manuela Couto por parte do município de Barcelos e do IPO/Porto, a troco de favores políticos conseguidos por Joaquim Couto.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.