Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Até sempre, Neno
Espectáculo de dança é hino à inclusão social

Até sempre, Neno

Comandar os Bombeiros Sapadores foi “um desafio e realização pessoal”

Até sempre, Neno

Desporto

2021-06-12 às 06h00

Joana Russo Belo Joana Russo Belo

País desportivo em choque com a morte súbita de Neno, antigo guarda-redes, internacional português e símbolo do Vitória SC, aos 59 anos.

O mundo do futebol está em choque. A morte prematura de Neno, antigo guarda-redes e internacional português de 59 anos - que faleceu, na noite de quinta--feira, em casa, de doença súbita - deixou o país desportivo de luto e principalmente Guimarães, onde terminou a carreira no Vitória SC e exerceu funções de treinador de guarda-redes e, nas últimas épocas, de dirigente.
Adelino Barros, mais conhecido como Neno no futebol, formou-se no Barreirense, passou pelo Vitória SC, Benfica e Vitória de Setúbal. Nascido na Cidade da Praia, em Cabo Verde, ganhou três campeonatos e três Taças de Portugal pelos encarnados e uma Supertaça pelos vimaranenses. Ao serviço da selecção portuguesa somou nove encontros, entre 1989 e 1996.

Em comunicado, o Vitória SC lembra a “histórica figura do clube e da cidade”, “carismático, afável e sempre disponível, conhecido de todos e que para todos tinha um gesto amigo e um sorriso verdadeiro”. Para o clube, “a morte de Neno representa uma enorme perda colectiva, mas em especial para a sua família e amigos, a quem o Vitória manifesta as suas mais sentidas condolências”.
Consternado, o presidente Miguel Pinto Lisboa recorda o legado de “uma figura carismática”, “sinónimo de alegria e de uma profunda humanidade”.

“O dia-a-dia do clube e da cidade confundiam-se com a figura do Neno, sempre presente, sempre com uma palavra amiga e com a disponibilidade que é única das pessoas mais genuínas. Sendo uma fonte de energia e de boa disposição, o Neno foi alguém que fez da partilha e da camaradagem um mote de vida e uma forma de estar. Recordar o Neno é ter permanentemente na imagem um sorriso. Um sorriso que contagiou o Vitória, o futebol nacional e a sociedade portuguesa. Agradeço, por isso, todas as manifestações que nos têm sido endereçadas por várias entidades e personalidades do desporto e da vida pública, registando a força que nos transmitem nesta hora tão inesperada”, escreveu o dirigente, num emotivo texto no site oficial do clube.
“O Vitória tem a enorme responsabilidade de honrar e perpetuar a memória deste seu embaixador, grande em todos os mo- mentos, mas enorme sobretudo no exemplo de vida que nos deixa”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho