Correio do Minho

Braga, terça-feira

Arcos de Valdevez recria o Recontro, o maior evento identitário do concelho
Clube Náutico de Prado campeão nacional de Primeiras Pagaiadas

Arcos de Valdevez recria o Recontro, o maior evento identitário do concelho

Braga quer ser exemplo na descarbonização

Alto Minho

2018-07-08 às 06h00

Paula Maia

Este fim-de-semana cumpre-se a terceira edição com a recriação do duelo entre os exércitos de Afonso Henriques e os de seu primo Afonso VII de Leão e Castela. No Paço de Giela respira-se um ambiente místico, com actividades medievais diversas.

Arcos de Valdevez regressa este fim-de-semana à Idade Média, ao século XII, com a recriação de um dos momentos mais emblemáticos e cruciais para a formação de Portugal. O Recontro de Valdevez volta a ganhar vida, no Paço de Giela, recriando o duelo, em 1141, entre os exércitos de Afonso Henriques, futuro primeiro rei de Portugal, e os de seu primo Afonso VII de Leão e Castela que se confrontaram no Vale do Rio Vez, naquele que foi um dos momentos mais importantes da fundação da nacionalidade. Esta espécie de contenda medieval evitou uma batalha quase certa que deu uma importante vantagem aos portucalenses e às ambições autonomistas do seu jovem monarca.

São perto de 700 os figurantes que voltam a dar vida a esta passagem histórica que cumpre este ano a sua terceira edição, evento que tem vindo a crescer, chamando gentes de toda a região e da vizinha Galiza, onde a autarquia efectuou uma acção promocional.

O presidente da câmara de Arcos de Valdevez assume que este “é um momento muito importante do ponto de vista da afirmação da identidade, da diferença”. João Manuel Esteves confessa que o evento está em crescimento, procurando envolver cada vez mais cidadãos, mais colectividades, associações e até o tecido empresarial. “Pretendemos que as pessoas venham para se divertir, que as associações se movimentem, que os os empresários da área da animação e da gastronomia também se associem”, diz o autarca, acrescentando que o programa da recriação histórica tem sido desen- hado tendo também em linha de conta os mais novos, como é o exemplo da cerimónia de investidura dos Cavaleiros Petizes que decorreu ao final da tarde de ontem. “Quando envolvemos os mais novos cativámos muito mais os seus familiares”, assegura.

A cimentar a sua grandiosidade, o Recontro de Valdevez promete voltar a crescer nas próximas edições, agregando, de acordo com João Manuel Esteves, “outros eventos da história associados a este”. E continua: “ainda temos muito a aprender com o que estamos a fazer”.

O momento da recriação história ‘O Recontro de Valdevez’ (Torneio d’Armas e Cavalo) decorreu na noite de ontem, mas terá hoje, pelas 22 horas, um segundo momento. Durante o dia também não faltará animação, perícias dos cavaleiros e, a fechar, um concerto musical.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.