Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Apuramento nas mãos de Varela
Ponte de Lima implementa tarifa social de  pagamento de água e saneamento para famílias carenciadas

Apuramento nas mãos de Varela

Município de Esposende garante refeições escolares

Apuramento nas mãos de Varela

Desporto

2020-11-22 às 18h18

Joana Russo Belo Joana Russo Belo

Vitória SC venceu em Arouca, no desempate por grandes penalidades, após o nulo no marcador no tempo regulamentar e no prolongamento. Num jogo de sofrimento e com menos um jogador, guardião vimaranense foi o herói ao defender dois remates.

Um triunfo sofrido e nas mãos de Bruno Varela. O guarda-redes foi o herói do Vitória SC em Arouca, ao defender dois remates no desempate por grandes penalidades, depois de um nulo no marcador após os 90 minutos regulamentares e o prolongamento. Frente a uma equipa da II Liga bem atrevida - e que esteve melhor em campo apesar da ausência do treinador Armando Evangelista - em isolamento depois de ter testado positivo à Covid-19 - os conquistadores tiveram de sofrer, e muito - já que jogaram com menos um durante 75 minutos -, para conseguir carimbar o passaporte para a quarta eliminatória da Taça.
Foi o Arouca a entrar forte em campo e quase a marcar logo aos dois minutos, num verdadeiro tiro de Adílio, com a bola a passar a rasar a barra da baliza vimaranense.
Muito pressionante nos primeiros minutos de jogo, a equipa da casa voltou a causar calafrios na defesa do Vitória SC, novamente por Adílio, que cabeceou a rasar o poste da baliza de Bruno Varela, após centro de Bukia.
A equipa de Guimarães demorou a reagir e só aos 33 minutos criou perigo, naquela que foi a primeira oportunidade num remate forte de Bruno Duarte à entrada da área, com Fernando Castro a defender para canto.
Perto do intervalo, a tarefa dos vimaranenses ainda ficou mais complicada, quando o defesa Ouattara foi expulso ao ver o segundo amarelo num lance em que tentou o carrinho e atingiu Mateus Quaresma.
No segundo tempo, o jogo perdeu qualidade em termos ofensivos, apesar de ambas as equipas terem criado uma grande oportunidade: primeiro o Vitória, num cabeceamento desviado de André Almeida e, já nos descontos, quando Blondell teve o golo nos pés, mas foi travado por uma excelente mancha de Varela, levando, assim, o jogo para prolongamento.
No tempo extra, a grande ocasião pertenceu a Maddox, com um remate à barra, mas a falta de pontaria levou o jogo para os penáltis. Na lotaria das grandes penalidades, Varela foi gigante quando ao defender o primeiro remate do Arouca por Leandro Silva e no ‘mata-mata’ o pontapé de Blondell.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho