Correio do Minho

Braga, sexta-feira

Aposta turístico-cultural de Cabeceiras de Basto
Eco Festival Terra Mãe em Fafe

Aposta turístico-cultural de Cabeceiras de Basto

Escola Sá de Miranda comemora o Dia do Agrupamento

Vale do Ave

2018-04-16 às 13h00

Redacção

Francisco Alves, Presidente da CM, apela aos investidores turísticos para que olhem para Cabeceiras de Bastos como um território com encanto natural, com futuro.

'Em Cabeceiras de Basto há um Mosteiro de Emoções' foi o tema da conferência realizada ontem, dia 12 de Abril, no Auditório do ISCET Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo, no Porto. Uma sessão que contou igualmente com a apresentação do programa cultural 'Mosteiro de Emoções', a decorrer até Julho de 2019.
 
'A aposta turístico-cultural de Cabeceiras de Basto' foi o tema da intervenção do Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, que destacou a forte aposta no Mosteiro de S. Miguel de Refojos. "Verdadeiro ex-libris de Cabeceiras de Basto, de valor universal e único, monumento beneditino que muito gostaríamos de ver classificado como Património Cultural da Humanidade. E foi a partir do momento em que avançamos, em 2014, com a Candidatura do Mosteiro à Lista Indicativa de Portugal ao Património Cultural da Humanidade da UNESCO, que começamos a sentir a presença de cada vez mais turistas em Cabeceiras de Basto. Trata-se de um aumento muito significativo que tem contribuído para a dinamização económica do nosso concelho, quer no que se refere à restauração e ao alojamento local mas também ao comércio e animação turística".
 
Cabeceiras de Basto possui um património natural de elevado valor ambiental e paisagístico. Um passeio pelo concelho leva o visitante numa viagem, através do tempo, às pontes medievais de Cavez e Painzela, aos pelourinhos de Abadim e Refojos, ao fojo do lobo da Uz, às inúmeras capelas e casas senhoriais existentes e a todo um conjunto de monumentos de grande valor cultural e patrimonial. Dois terços do território integram o perímetro da Serra da Cabreira e a parte sul do concelho é fortemente marcada pelo Rio Tâmega. Esta conjugação da montanha com o vale conferiu a este território paisagens naturais de extraordinária beleza.
 
Francisco Alves lembrou ainda o património edificado, aliado à história e à cultura Cabeceirense, como "motivos de interesse turístico que queremos potenciar cada vez mais, certos de que o Turismo é uma indústria que promoverá o território e, consequentemente, a economia local".
 
Da aposta do Município em políticas de valorização deste território, do património e dos recursos endógenos resulta, por exemplo, o 'Mosteiro de Emoções', a organização de Seminários Internacionais relacionados com a presença dos Beneditinos em Cabeceiras de Basto, ou a organização de eventos desportivos de dimensão internacional, como o Rally de Portugal, entre tantos outros.
 
Além do Mosteiro de S. Miguel de Refojos e d 'O Basto', estátua que encerra a história e lenda ligada à bravura e honradez das gentes de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves enumerou outros atrativos culturais como o Museu das Terras de Basto, que integra o Núcleo Ferroviário do Arco de Baúlhe, o Núcleo de Arte Sacra, a Casa da Lã e a Casa do Pão, bem como a Ponte de Cavez sobre o rio Tâmega, monumento classificado, que tem associada a passagem, por Cabeceiras de Basto, do escritor Camilo Castelo Branco. Muito próximo desta ponte, há uma Pista Internacional de Pesca Desportiva que atrai, todas as semanas, provas e concursos de âmbito regional, nacional e internacional.
 
O Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto referiu ainda o Centro Hípico e o Centro de Educação Ambiental, uma Pista para Ultraleves, piscinas, pavilhões desportivos e ricas zonas de banho e lazer espalhadas um pouco por todo o concelho, e a recente construção de um verdadeiro Centro Interpretativo do concelho A Casa do Tempo também Centro UNESCO, equipamentos que cativam um grande número de utilizadores e visitantes.
 
Associado a todo este património está uma magnífica gastronomia com produtos de qualidade certificados, como sejam as carnes 'Barrosã' e 'Maronesa', o cabrito das 'Terras Altas do Minho', o 'Mel de Basto', os 'Vinhos Verdes' mas também a broa, o fumeiro, as compotas, os licores, entre outros, que podem ser degustados em vários restaurantes locais, já referenciados positivamente por inúmeros críticos e publicações. Numa recente publicação sobre os 1.200 melhores restaurantes do país, Cabeceiras de Basto apresenta três restaurantes referenciados.
 
Francisco Alves foi perentório: "Cabeceiras de Basto tem uma oferta extraordinária e para todos os gostos.  Cabeceiras de Basto é um concelho para descobrir, desfrutar e degustar. O Mosteiro de S. Miguel de Refojos tem sido o principal ícone de promoção deste território e, por isso, vai continuar a ser uma aposta da Câmara Municipal. Queremos a partir do Nosso Mosteiro continuar a cativar novos visitantes, dinamizando deste modo o turismo e a cultura Cabeceirense. Cabeceiras de Basto atrai turistas pela sua beleza natural mas também pelo Património, pela hospitalidade e pela gastronomia".
 
De referir que, entre 21 e 25 de Abril, realizam-se em Cabeceiras de Basto três encontros diferentes de clubes de automóveis e vespas. Prevê-se a passagem de quase duas centenas de pessoas. Através de parceiros como o Projeto Raízes, existe uma forte promoção do turismo de natureza, com realização de caminhadas pelos trilhos pedestres do território, mas também trails, entre outras ações ligadas à natureza, que juntam grande número de participantes de toda a região, do país e do estrangeiro.
 
Apesar do bom serviço que é prestado pelos proprietários das Casas de Turismo Rural, Francisco Alves não hesita em realçar uma lacuna ao nível do alojamento. "Falta-nos um hotel para darmos resposta aos nossos visitantes e permitir que permaneçam por mais que um dia. Por isso, temos vindo a apelar aos investidores turísticos para que olhem para Cabeceiras de Basto, um território com encanto natural, que tem futuro. A Câmara Municipal tem desenvolvido políticas de promoção do território, mas também outras iniciativas culturais, económicas e sociais que atraem diferentes públicos, dinamizando a economia local. Temos também participado, fora do concelho, em feiras turísticas e outros eventos para dar a conhecer o que temos de melhor".
 
O programa cultural desenvolver-se-á ao longo dos próximos 16 meses e integrará 23 atividades. Especial destaque para o envolvimento de inúmeros parceiros de Cabeceiras de Basto, desde a comunidade educativa, empreendedores locais, passando pelo movimento associativo e outras instituições do concelho, mas também parceiros externos como universidades, escolas profissionais, orquestras, cooperativas, empresas de dinamização cultural, entre outros.
 
Tem como elemento central o Mosteiro de S. Miguel de Refojos, magnífico monumento beneditino. Trata-se de um programa cultural que resulta de uma candidatura a fundos comunitários designada 'Mosteiro de S. Miguel de Refojos, Património Cultural Ímpar', através do NORTE 2020, e que integra, para além de um conjunto de ações materiais, obras de reabilitação de coberturas e fachadas do Mosteiro e requalificação da antiga livraria beneditina. O programa cultural materializa-se em múltiplas manifestações artísticas, de exaltação do património, tradição e história.
 

Dirigido a um público diversificado, o programa desenvolve-se em três eixos temáticos Cultura/Artes Performativas, Gastronomia/Sabores e Saúde e Bem-Estar que aliam a itinerância, a combinação e a diversidade. Este vasto programa cultural assenta em parcerias alargadas que vão desde as instituições locais a diversas entidades regionais e nacionais.
 
Pretendendo ser um importante motor de dinamização cultural contempla iniciativas culturais e artísticas diversas, das artes plásticas às artes performativas, da literatura às atividades holísticas e ao artesanato, privilegiando, ainda, manifestações de divulgação histórica, patrimonial e gastronómica.

Todas estas atividades decorrerão sob diversos formatos exposições, concertos, concursos, mostras, festivais, provas e degustações, workshops, tertúlias, master-classes e visitas, dirigidas a públicos distintos e potenciais visitantes, turistas e parceiros. As atividades decorrerão preferencialmente em locais simbólicos do Município, especialmente no Mosteiro de S. Miguel de Refojos, mas também em espaços culturais, escolas e universidades, associações e clubes culturais de Cabeceiras de Basto ou de municípios estratégicos e vizinhos.
 
Dos três eixos temáticos Cultura/Artes Performativas, Gastronomia/Sabores e Saúde e Bem-Estar que contarão com o envolvimento de muitos parceiros, especial destaque para a Bienal Internacional de Flauta Transversal, como reconhecimento e exaltação da grande flautista nacional, Adriana Ferreira, natural do concelho, e solista da Orquestra Nacional de França desde 2012; a Sebenta do Património; a Noite das mil e uma histórias; o Seminário Internacional;  Festival Ibérico de Canto Gregoriano; a Mesa de Cabeceiras, o Festival Aromático; a Mostra de Sabores Beneditinos; o Encontro Holístico, entre muitos outros.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.