Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Aplicação ajuda a comprar medicamentos a partir de casa
Patrícia Esparteiro reforça SC Braga a pensar nos Jogos Olímpicos de 2021

Aplicação ajuda a comprar medicamentos a partir de casa

Famalicão: Rota de Camilo ganha impulso com duas candidaturas aprovadas

Aplicação ajuda a comprar medicamentos a partir de casa

Braga

2020-04-04 às 06h00

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

Mais de 50 farmácias do distrito de Braga já aderiram à aplicação Farma em Casa. Ferramenta gratuita foi criada por empresa bracarense e pode ser utilizada em todo o país.

A funcionar há duas semanas, a aplicação Farma em Casa, criada por uma empresa bracarense, já tem perto de 300 farmácias na rede e mais de dois mil utilizadores. “Este é o nosso contributo para combater a Covid-19 e faz parte também da responsabilidade social”, assumiu um dos fundadores da empresa, Rui Fernandes, adiantando que só no distrito de Braga já estão mais de 50 farmácias integradas na aplicação.
A desenvolver software, a We Make It trabalha há mais de 10 anos na área farmacêutica. “Temos contacto directo com as farmácias e as mensagens que nos chegavam é que as pessoas faziam filas enormes e estavam a encher as farmácias”, lembrou Rui Fernandes. Daí até criar uma aplicação que permitisse às pessoas pedir o medicamento a partir de casa foi um passo. Assim nasce a Farma em Casa, uma aplicação que permite comprar medicamentos através do smartphone e também recebê-los em casa, caso a farmácia tenha entrega ao domicílio ou via CTT.

O serviço já conta com perto de 300 farmácias em todo o país. “As farmácias que não entregam em casa, cerca de metade, permitem na mesma comprar online e apenas fazer o levantamento no local, para evitar filas de espera”, explicou Rui Fernandes, referindo que, até ao momento, são quase dois mil os utilizadores da aplicação e já foram realizadas mais de 300 vendas através da Farma em Casa.
Esta aplicação é gratuita para todas a farmácias e para a população que a deseje utilizar. “A aplicação é grátis para todos os utilizadores e para todas as farmácias, para ver se chegamos ao máximo de gente possível. É o nosso contributo para ajudar a combater este vírus”, adiantou Rui Fernandes, contando que “muitas farmácias ligam para perguntar como funciona a aplicação e agradecem o contributo e o projecto que é muito útil para eles no dia a dia não ter que ter filas nas farmácias e o telefone sempre a tocar para receber encomendas”.

O objectivo é que as pessoas façam o pedido e a farmácia prepara a encomenda e depois combina com o cliente quando e como deve levantar. Cerca de me- tade das farmácias têm serviço de entrega ao domicílio, que é garantido maioritariamente pelos CTT. Mas em todas as farmácias é possível fazer a compra de medicamentos online e depois apenas ir à farmácia fazer o levantamento. Ainda de acordo com Rui Fernandes, a maior parte das farmácias já permite também o pagamento por MBWay. “Todo este processo acaba por ser uma mais-valia e muito útil para as famílias”, o responsável.
A empresa pretende chegar ao máximo número possível de pessoas e mesmo os mais idosos, que possam não ter conhecimentos tecnológicos, outros familiares podem fazer a encomenda por eles. Rui Fernandes alerta ainda que há medicamentos que só poderão ser comprados mediante a apresentação, através de carregamento na aplicação, da respectiva prescrição.

Uma das farmácias que já aderiu à aplicação é a Farmácia Lamaçães. Apesar de ainda ter poucos pedidos a partir da aplicação, a farmacêutica Joana Machado garantiu que “os pedidos efectuados através da Farma em Casa decorreram muito bem a nível operacional”.
Na farmácia, os clientes podem ainda fazer os seus pedidos via telefone, e-mail e WhatsApp, tendo também funcionar o serviço de entrega ao domicílio.
Também a Farmácia Pimentel já integra esta rede. “Não é fácil dar resposta aos utentes nestes tempos difíceis e queremos evitar ao máximo que as pessoas venham à farmácia e isso está a ser estimulado por várias vias e uma delas é aplicação Farma em Casa”, adiantou a directora técnica, Isabel Leite Machado, confidenciando que a aplicação, como é recente, “ainda não está a ser muito utilizada”, aproveitando para incentivar para as pessoas a utilizarem mais a Farma em Casa.

“Estamos a reorganizar-nos e a reinventar-nos para tentar dar o máximo de segurança aos colaboradores e às pessoas que nos procuram”, garantiu a directora técnica, referindo que agora o movimento é muito menor em comparação com os primeiros dias. “Estamos a tentar dar resposta tranquila à população, estamos no terreno com muita vontade de ajudar, com preocupação com a segurança e a fazer aprovisionamento”, assegurou.
A farmácia tem WhatsApp, facebook, e-mail, telefone e a aplicação Farma em Casa. Tem ainda o pagamento através do MBWay. “Utilizamos todas as vias possíveis para as pessoas fazerem os pedidos sem se deslocarem à farmácia. E temos tido muitas entregas ao domicílio”, adiantou Isabel Leite Machado, informando que a farmácia tem também um serviço disponibilizado pela Associação Nacional de Farmácias de entrega via CTT no dia a seguir na casa das pessoas.

A directora técnica adiantou ainda que a farmácia aderiu a um serviço nacional, disponibilizando a entregar de medicamentos hospitalares, a quem faz terapêuticas crónicas. “Quem se desloca aos hospitais para levantar medicação, que tem dispensa exclusiva de utilização hospitalar, não precisa de o fazer. Só tem que dar indicação ao hospital que pretende fazer o levantamento na farmácia e depois encomendar-nos”, informou.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho