Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Amares volta servir as melhores Papas de Sarrabulho do Minho
‘Fibrenamics Green’ finalista dos prémios Regiostars

Amares volta servir as melhores Papas de Sarrabulho do Minho

Curtas-metragens ‘chamam’ jovens

Amares volta servir as melhores Papas de Sarrabulho do Minho

Cávado

2020-02-21 às 06h00

Paula Maia Paula Maia

Festival de Papas de Sarrabulho arranca hoje para a sua 18.ª edição. Pelo recinto do Mercado Municipal de Amares deverão passar até terça-feira mais de de 30 mil visitantes.

A partir de amanhã e até terça-feira de Carnaval todos os caminhos vão dar a Amares, onde são esperados mais de 35 mil visitantes para provar aquelas que são já consideradas as melhores Papas de Sarrabulho do Minho.
O Festival de Papas de Sarrabulho, que atinge este ano a maioridade, arranca para mais uma edição que promete ultrapassar os números obtidos em 2019, rumando a um patamar de excelência.
O certame promete servir mais perto de 10 mil litros de Papas de Sarrabulho e gerar mais de meio milhão de euros. Todas as condições estão reunidas para que esta seja a festa dos sabores e dos saberes, onde os visitantes podem provar a excelência da gastronomia desta região e de onde se destacam as Papas de Sarrabulho tão bem confeccionados pelos restaurantes do concelho, que são acompanhadas pelos rojões, pela tripa, pelo farinhote e pelos grelos.

A Câmara Municipal de Amares e a Associação Comercial de Braga (ACB) voltam a organizar o certame que terá lugar no recinto do Mercado Municipal de Amares, Ferreiros - onde há também uma vasta zona de estacionamento - local onde teve lugar o ano passado pela primeira vez.
O certame tem lugar entre as 12 e as 24 horas até ao dia 24. No Dia de Carnaval está aberto entre as 12 e as 20 horas.
A entrada é livre, mas para poder saborear as Papas de Sarrabulho e respectivos acompanhamentos o visitante deve levantar previamente o kit de loiça, à entrada do recinto, deixando uma caução de 5 euros que é devolvida no momento de entrega, ficando salvaguardado um euro para as despesas de manutenção do mesmo.

O preçário é comum em cada restaurante: 2,50 euros para a prova das papas; 3,50 euros a malga; 4,5 euros o kit de acompanhamentos e 1,50 euros para o vinho.
São oito os restaurantes presentes no certame, o mesmo número das edições anteriores:‘A Rival’, ‘A Casa Gil’, ‘Carias’, Vale do Homem, a Churrasqueira de Caldelas, a Tasquinhas do Tomadas, a Taberna Abadia e a Quinta do Fernando. Todos vão dar a provar este prato típico da região que se distingue dos demais não só pela qualidade da matéria-prima, como pela forma peculiar como são preparadas, beneficiando de um know-how que tem sido passado de geração em geração.

Além das Papas de Sarrabulho, no recinto poderá encontrar também outros produtos do concelho, como os produtos hortícolas, com destaque para a laranja de Amares, única no país.
A laranja serve também de matéria-prima para muitos doces preparados e tem que feito grande sucesso, como é o caso das natas de laranja, da marmelada de laranja ou do pudim de laranja.
O vinho verde do concelho também impõe a sua presença.

“Este é o evento mais importante para a promoção do concelho”

Apresentando-se como um evento consolidado, o presidente da Câmara Municipal de Amares não têm dúvidas de que este é “o evento mais importante para a promoção do concelho”, no que diz à gastronomia e produtos locais diz respeito.
O?Festival de Papas de Sarrabulho é já uma marca de Amares e um evento capaz de projectar a sua imagem dentro e fora de portas.“As pessoas que vêm a Amares levam daqui a imagem do nosso concelho, a nossa gente, a nossa gastronomia, tudo aquilo que temos de belo”, diz a propósito o autarca, acrescentando que há já muitos estrangeiros, sobretudo espanhóis, que são presença assídua no certame.

Manuel Moreira sublinha também a importância do certame para a vertente económica, capaz de gerar receitas e trazer muitas turistas Amares, colocando o concelho nas rotas de passagem obrigatória no que ao Minho diz respeito. “A câmara faz um investimento significativo com a consciência da importância que o evento têm para os vectores económico e turístico”.
Reforçar o concelho de Amares como destino de eleição gastronómico e turístico do Minho são, por isso, os objectivos centrais deste certame, que é também uma montra daquilo que de melhor se faz e produz neste território e uma excelente oportunidade para dinamizar as actividades económicas e promover o património gastronómico, turístico e cultural.

Domingos Barbosa, presidente da Associação?Comercial de Braga, um dos parceiros do festival, corrobora as palavras do autarca de Amares, afirmando que este é um evento “marcante” para a economia local, sendo um dos principais impulsionadores da oferta turística, cultural e gastronómica de Amares.“Neste festival há a preocupação de preservar o nosso património gastronómico, com base no aproveitamento e valorização dos produtos locais, como o vinho a laranja, o azeite, o artesanato, a doçaria e a produção agropecuária”, diz o dirigente.
Inácio Ribeiro, vice-presidente do Turismo Porto e Norte de Portugal, que também tem acompanhado o evento de perto nas duas últimas edições, assumiu que este é já um certame que, pela sua maioridade, atingiu “uma cultura acumulada de saber-fazer que merece ser louvada”. “Quando o Município promove esta iniciativa está a enfatizar aquilo que é a cultura e a alma destas gentes de Amares”, referiu Inácio Ribeiro.

Bracarenses rendidos à qualidade e sabor das Papas de Sarrabulho de Amares

Durante uma semana, os oito restaurantes que vão marcar presença nesta 18.ª edição do?Festival de Papas de Sarrabulho levaram a cabo uma acção promocional no centro de Braga, mais concretamente na Pop Up Store da Associação Comercial de Braga (ACB), dando a provar as suas famosas papas.
Ao todo foram servidas 500 livros de Papas de Sarrabulho, deixando os bracarenses completamente rendidos a esta iguaria única que se distingue não só pela qualidade da matéria-prima, como pela forma como são confeccionados.
Para acompanhar, e como não podia deixar de ser, esteve o Vinho Verde de Amares.

Mas nem só de papas se revestiu esta acção de charme do concelho de Amares por terras da Bracara Augusta. A laranja, outro dos ex-líbris do concelho, também marcou presença nesta acção, assim como o vasto leque de iguarias confeccionadas com a mesma. Falamos, por exemplo, da marmelada ou compota.
“Estamos em Braga não só a promover o nosso festival gastronómico, mas também o nosso território”, referiu Isidro Araújo, vice-presidente da Câmara Municipal de Amares, que marcou presença no último dia da acção.
O presidente da ACB, Domingos Macedo Barbosa, realçou que Braga “é um palco natural e de excelência” para divulgar o certame, acrescentando que o evento é fruto da cooperação entre a autarquia de Amares e a ACB.
Altino?Bessa, vereador do Turismo da Câmara de Braga, frisou que Braga “está sempre de portas abertas” a quem pretender promover os seus eventos. “Braga é a uma grande montra para dar visibilidade aos mais variados eventos”, continua o vereador, agradecendo a Amares por divulgar em Braga um dos seus principais certames”.

Gentes de Amares dão outro gosto ao Carnaval

O Festival de Papas de Sarrabulho é apenas um apetitoso pretexto para visitar Amares que, no dia 25, vive também a folia do Carnaval.
O desfile, organizado anualmente pelo Clube Desportivo, Recreativo e Cultural Amarense, assume-se como um dos mais importantes da região minhota, atraindo centenas de forasteiros.
‘Viagens’ é o tema do corso deste ano que vai já na sua 31.ª edição, contando com a participação de uma dezena de grupos.

Martinho Antunes, presidente da colectividade, diz que há mais de três décadas que, “de uma forma divertida a a brincar”, as gentes de Amares trazem para a rua os mais diversos temas.
O responsável enfatiza o trabalho dos voluntários que dão corpo a esta iniciativa, “quer os jovens a construir os carros e os adereços, quer as senhoras a confeccionar as roupas e a preparar tudo para o desfile”.
Além do apoio da autarquia, quer a nível monetário, quer logístico, o clube promove - também com o apoio de outras instituições concelhias - alguns eventos de angariação de fundos que “são sempre poucos para as despesas”.
O tema deste ano, como diz Martinho Antunes, propõe-nos uma viagem que “poderá ser à India por Vasco da Gama; uma viagem à Lua ou até ao paraíso”.

A concentração está agendada para dia 25, às 15.30, no Largo Gualdim Pais. O corso vai seguir o percurso dos anos anteriores.
Além dos grupos já inscritos, Martinho Antunes adianta há sempre a possibilidade de receber todos os interessados no próprio dia. “O cortejo está aberto à participação livre. Quem quiser pode mascarar-se e participar”, diz o responsável, adiantando que o Carnaval vai também chegar ao recinto do Festival de Papas de Amares.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho