Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Amarante: GNR e bombeiros continuam a procurar homem alegadamente caído aoTâmega
Vila Verde: Obras de requalifcação avança no centro de Prado

Amarante: GNR e bombeiros continuam a procurar homem alegadamente caído aoTâmega

‘Chegou a farra’ à loja Pingo Doce do Braga Parque

Nacional

2010-03-29 às 18h33

Lusa Lusa

Militares da GNR e bombeiros de Amarante mantêm as buscas no rio Tâmega, apesar de até hoje não terem encontrado o homem que, segundo testemunhas, terá caído à água na noite de sexta feira, dia 26, disse à Lusa fonte da proteção civil.

Militares da GNR e bombeiros de Amarante mantêm as buscas no rio Tâmega, apesar de até hoje não terem encontrado o homem que, segundo testemunhas, terá caído à água na noite de sexta feira, dia 26, disse à Lusa fonte da proteção civil.

“Temos homens a patrulhar as duas margens do rio, mas não encontrámos, até agora, qualquer vestígio”, disse Gonçalo Monteiro, segundo comandante dos bombeiros de Amarante.

Segundo um casal proprietário de um restaurante na cidade de Amarante, um homem, aparentando ter entre 30 e os 40 anos, caiu ao rio Tâmega, na noite do dia 26, junto ao passadiço metálico que existe na margem direita, contígua ao Largo de S. Gonçalo.

Desde essa noite meios da GNR, dos bombeiros e da proteção civil de Amarante e do Marco de Canaveses mantêm efetivos junto ao rio, cujas margens têm patrulhado repetidas vezes a pé.

Sexta feira, chegaram a estar envolvidos mais de duas dezenas de militares da GNR.

Embarcações das duas corporações têm subido e descido o rio, na zona entre a cidade de Amarante e a ponte de Canaveses, em Marco de Canaveses, mas não foi encontrado qualquer vestígio.

Em Amarante ainda se mantêm as operações dos bombeiros e da GNR, mas no Marco foram suspensas no domingo, aguardando-se indicações da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Em Amarante chegou-se a especular que o homem alegadamente visto na água pudesse ser um indivíduo que sofre de perturbações mentais que deambula pela cidade, mas os seus familiares já desmentiram à GNR essa possibilidade.

“Enquanto a dúvida se mantiver vamos manter junto ao rio alguns militares”, disse à Lusa o capitão Brites Teixeira, da GNR de Amarante.


*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho