Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Alunos regressam à renovada Frei Bartolomeu dos Mártires
Câmara Municipal apoia certificação dos bordados de S. Miguel da Carreira

Alunos regressam à renovada Frei Bartolomeu dos Mártires

Famalicão: Têxteis técnicos já valem 124 milhões de exportações

As Nossas Escolas

2019-01-04 às 12h42

Redacção

Está concluída a primeira fase de requalificação da EB 2,3 correspondendo a 70% do total da empreitada que deve estar concluída no próximo ano lectivo.

Mais de 350 alunos, de 17 turmas iniciaram ontem o segundo período lectivo em novas salas de aulas, com a conclusão de 70% da requalificação da Escola Frei Bartolomeu dos Mártires, Viana do Castelo.
O presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, explicou que a primeira fase da empreitada, num investimento global de 5,3 milhões de euros, inclui, além das salas de aula, “os abrigos, átrio principal, percursos e pátio principal, biblioteca, bar, refeitório, cozinha, arrecadações, instalações sanitárias, secretaria, gabinete médico, entre outras”.
Em causa está a intervenção na EB 1,2,3 Frei Bartolomeu dos Mártires prevista desde 2011. Classificada como urgente, chegou a estar prevista para a fase IV da Parque Escolar, mas acabou por nunca sair do papel, com a suspensão daquele programa de requalificação dos edifícios escolares.

O autarca socialista adiantou que “a segunda fase da intervenção, a concluir no Verão, prevê a construção de um novo pavilhão gimnodesportivo e os arranjos exteriores”, referindo que “no ano lectivo 2019/2020 a escola estará totalmente requalificada”.
Situada no centro da cidade, a escola Frei Bartolomeu dos Mártires data de 1980, tem 630 alunos, 280 do 2.º ciclo e 350 do 3.º ciclo.
No exterior, “está também prevista, para além da nova via que permite a segurança aos alunos, a construção de estacionamento”.

Com a intervenção agora concluída, financiada pelo Norte 2020, a nova entrada principal da EB 2/3 Frei Bartolomeu dos Mártires integra um painel da artista Paula Branco Pereira, de Viana do Castelo.
A obra, com 5,22 metros quadrados, composta por 232 azulejos pintados à mão, em ladrilho cerâmico, integra-se no projecto ‘Trajetórias de um Frei: simbolismos e micronarrativas’.
Com a requalificação agora concluída, que resultou de um “acordo de colaboração entre a Câmara Municipal e o Ministério da Educação, foram criadas 28 salas de aula, sendo 19 salas normais, um gabinete de educação especial, uma sala de música, uma sala de informática, um laboratório de ciências, um laboratório de física e química, uma sala de educação visual e duas de educação tecnológica”.

A primeira fase “implicou a criação de um edifício principal e também a requalificação do piso nos campos de jogos, a requalificação dos espaços existentes, dois edifícios que serão mantidos e qualificados e um pavilhão desportivo e edifício técnico”.
O projecto integra “um novo arruamento para permitir a segurança dos alunos e a criação de salas de aula e salas especiais para alunos com necessidades especiais”.
Além da requalificação e ampliação dos espaços, a intervenção agora em curso previa, inicialmente, um investimento superior a 10 milhões de euros.
O projecto, entretanto reformulado, contemplava a fusão de três níveis de ensino na mesma escola com a prevista desactivação da escola primária do Carmo, também no centro da cidade.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.