Correio do Minho

Braga, terça-feira

'Aldeia segura' avança em dois concelhos do distrito de Braga
Famalicão: FNA em Oliveira Santa Maria

'Aldeia segura' avança em dois concelhos do distrito de Braga

Guimarães: Alunos da OFICINA na meia-final do projeto JAP

Braga

2018-04-25 às 06h00

Teresa M. Costa

Cabeceiras de Basto e Vieira do Minho são os dois primeiros concelhos a implementar os programas 'Aldeia segura' e 'Pessoas seguras' no distrito de Braga.

Os municípios de Cabeceiras de Basto e de Vieira do Minho deverão ser os primeiros do distrito de Braga a implementar os programas Aldeia segura e Pessoas seguras. A convicção foi avançada ontem pelo comandante distrital de Operações de Socorro (CODIS), Hermenegildo Abreu, na sessão distrital de apresentação dos dois programas que decorreu em Braga.
O CODIS anunciou que já há freguesias para avançar com os programas, a título piloto no distrito onde a tutela já sinalizou 55 freguesias como de risco prioritário de incêndio.

O tempo urge, não só pela aproximaçao do Verão, mas porque o Comando Distrital de Operações de Socorro se propõe fazer pontos de situação quinzenais no que toca à implementação destes programas, nomeadamente os aglomerados populacionais envolvidos; os oficiais de segurança designados; o número de planos de evacuação implementados e os exercícios e simulacros executados, bem como o número de Unidades Locais de Protecção Civil (ULPC) constituídas.

Prazos que levaram o coordenador do Serviço Municipal de Protecção Civil de Braga, Vítor Azevedo, a afirmar que o programa já deveria ter comunicado mais cedo.
Questionado pelo Correio do Minho, o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, garantiu na área do seu concelho estão a ser identificados os locais de maior risco.
O edil cabeceirense admite que os programas não serão de fácil implementação, até pela questão do tempoe com a consciência de que não é possível fazer tudo aponta: temos que começar por algum lado.
No terreno, estão também a decorrer os trabalhos de gestão de combustível da responsabilidade do município, reforçou.

Municípios e juntas mobilizados para 'aldeias mais seguras'

Os municípios e juntas de freguesia do distrito de Braga foram ontem sensibilizados para a implementação dos programas Aldeia segura e Pessoas seguras que mais não visam do que reforçar a segurança dos aglomerados populacionais em caso de incêndio florestal ou de outra catástrofe.
Os programas criados pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 157-A/2017 foram ontem apresentados numa sessão que decorreu em Braga, no Museu D. Diogo de Sousa, por iniciativa do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).
Cabe aos municípios e juntas de freguesia implementar os protocolos, tal como prevê o protocolo assinado entre a Autoridade Nacional de Protecção Civil, a Associação Nacional de Municípios Portugueses e a Associação Nacional de Freguesias, pelo que eles foram os principais destinatários da sessão que juntou, também, as entidades com responsabilidades na prevenção e combate aos incêndios florestais, como a GNR e a PSP.
O comandante distrital de Operações de Socorro (CODIS), Hermenegildo Abreu, explicou que o objectivo é contribuir para a salvaguarda de pessoas e bens e, neste contexto, apoiar o poder local na promoção de maior segurança.
A identificação dos aglomerados mais críticos, a implementação de avisos à população e e sinalização de locais de abrigo são algumas medidas preconizadas pelos dois programas que exigem planos de evacuaçao.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.