Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Alcobaça: Polícia Judiciária deteve homem de 23 anos suspeito de ter matado filho de cinco meses
Launay em destaque no Europeu de Praga

Alcobaça: Polícia Judiciária deteve homem de 23 anos suspeito de ter matado filho de cinco meses

Investigador do Caminho de Santiago premiado

Casos do Dia

2010-04-06 às 16h22

Lusa Lusa

Alcobaça: Polícia Judiciária deteve homem de 23 anos suspeito de ter matado filho de cinco meses

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de um homem de 23 anos suspeito de ter matado o filho de cinco meses em Alcobaça.

Em comunicado, o Departamento de Investigação Criminal de Leiria da PJ adianta que o arguido, detido em colaboração com a PSP, é o presumível autor de um crime de homicídio qualificado.

À agência Lusa, fonte da PJ de Leiria explicou que “tudo indica que a criança, do sexo masculino, faleceu após agressões físicas na cabeça e no tronco”.

Segundo este responsável, o suspeito terá agredido o bebé também há cerca de um mês.

“Na ocasião, a mãe, que trabalha, foi chamada a casa”, referiu o responsável, acrescentando que nesta situação houve recurso a “tratamentos caseiros”, como o uso de pomadas.

De acordo com esta fonte, o bebé tinha “vestígios de agressões e maus tratos anteriores que não foram tratados no hospital”.

O responsável declarou que a mãe do bebé também foi ouvida no âmbito do inquérito, mas não constituída arguida.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Alcobaça, Mário Serol, afirmou à Lusa que a corporação recebeu segunda feira ao meio dia um alerta para uma ocorrência que se prendia com uma “queda de carrinho de bebé ou cadeira” numa casa a “100 metros do quartel”.

“A criança estava inconsciente e também apresentava sinais de um traumatismo crânio encefálico”, disse Mário Serol, esclarecendo que a situação da criança “já era muito complicada”.

Os três elementos da corporação que se deslocaram ao local “procederam a manobras de reanimação desde a habitação e durante o percurso de um quilómetro até ao hospital”,

Mário Serol esclareceu que o hospital, suspeitando de um situação de maus tratos, comunicou depois à PSP.

O arguido, sem antecedentes policiais ou criminais, vai ser presente ao juiz de instrução criminal do Tribunal Judicial de Alcobaça esta tarde.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho