Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Ainda não foi desta que Tiago Mendes e o Vitória SC se estrearam a vencer
AGERE renova certificação de Ambiente e Segurança com migração normativa

Ainda não foi desta que Tiago Mendes e o Vitória SC se estrearam a vencer

Município sensibilizou alunos para o combate à Covid-19

Ainda não foi desta que Tiago Mendes e o Vitória SC se estrearam a vencer

Desporto

2020-09-28 às 06h00

Carlos Costinha Sousa Carlos Costinha Sousa

Segunda jornada da I Liga e ainda não foi desta que Tiago Mendes se estreou com um triunfo, enquanto treinador principal de uma equipa sénior na I Liga. E ainda não foi esta que os Conquistadores conseguiram também somar os três tão desejados pontos.

Não está fácil a tarefa de Tiago Mendes em Guimarães e não está fácil o Vitória Sport Clube encontrar o caminho dos triunfos. Em duelo da segunda jornada da edição 2020/2021 da I Liga, em casa do Rio Ave, os Conquistadores apresentaram um onze inicial com várias alterações e que surpreendeu [ver caixa], em busca de ‘enganar’ os vilacondenses e procurar chegar à conquista do primeiro triunfo da temporada.
No entanto, em terras do rio Ave, os golos não apareceram e as duas equipas dividiram os pontos em disputa, depois da partida terminar com um nulo no marcador.

O Rio Ave entrou bem no jogo e, logo aos dois minutos, o capitão Tarantini avisou a defesa vitoriana, com um remate de cabeça, após um pontapé de canto, que saiu um pouco por cima da baliza defendia por Bruno Varela. Um primeiro aviso que, apesar de tudo, não assustou muito os minhotos, já que logo no minuto seguinte foi a vez de André André conseguir levar algum perigo ao sector mais recuado da equipa de Vila do Conde. O cruzamento de Quaresma na marcação de um livre levada a direcção correcta, mas a cabeça do capitão vitoriano não conseguiu dar seguimento à jogada, rematando muito torto.

Daqui para a frente, as situações de perigo junto das balizas até foram acontecendo, apesar de um jogo se desenrolar de forma muito equilibrada - com ligeiro ascendente e sinal mais para os de Guimarães - e sem que os guarda-redes se assustassem verdadeiramente. E claro que, até ao intervalo, os golos não surgiram, deixando no ar a promessa de que o segundo tempo da partida iria trazer momentos de melhor futebol e de alegria para os adeptos que, a espaços, se faziam ouvir no exterior do estádio.

No segundo tempo, no entanto e apesar do que se pedia, acabou por se ter mais do mesmo. Ou seja, duas equipas em regime de muita luta, muita entrega, sempre aguerridas e à procura de criar perigo, mas pouca capacidade para conseguir, na hora do remate final, acertar no alvo. As balizas começavam a parecer pequenas de mais para os artilheiros das duas equipas conseguirem mostrar serviço. Num esforço quase final, o Vitória de Guimarães esteve perto de conseguir oportunidade soberana, quando árbitro assinalou penálti por falta sobre Quaresma, mas o lance foi anulado pelo VAR.

Com naturalidade, perante a incapacidade finalizadora das duas formações, até ao apito final da partida, o marcador acabou por não sofrer alterações e o empate sem golos tornou-se uma realidade que ninguém queria, dando o primeiro ponto ao Vitória Sport Clube da era Tiago Mendes.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho