Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Agrupamento de Celeirós prima pelo clima de segurança
Começa hoje a ‘missão Leça’ com o Jamor no horizonte

Agrupamento de Celeirós prima pelo clima de segurança

Novos professores não serão suficientes para suprir necessidades das escolas

Agrupamento de Celeirós prima pelo clima de segurança

Ensino

2016-09-23 às 06h00

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

É DOS ambientes mais tranquilos aquele que se vive no Agrupamento de Escolas de Celeirós. A directora assinala um arranque de aulas “pacífico”.

“Pacífico”, mas ainda com algumas falhas na colocação de professores e funcionários. Assim foi confirmado pela directora Célia Simões o arranque do novo ano lectivo 2016/17 no Agrupamento de Escolas de Celeirós, embora falte ainda a colocação de dois professores pelo Ministério da Educação para a promoção do sucesso educativo - uma das suas apostas estratégicas para reforçar o apoio à Matemática na EB 2,3 de Celeirós e no 1.º Ciclo.
“Faltam-nos também alguns assistentes operacionais - que de acordo com o nosso rácio seriam pelo menos três, a colocar pela Câmara Municipal de Braga, o que nos faz começar a trabalhar de uma forma ainda um pouco desorganizada”, lamentou a responsável, apontando que devido a esse défice faz o agrupamento precisar de “um grande jogo de flexibilidade” na gestão dos seus espaços para garantir os serviços que presta disponíveis aos alunos. Uma situação agravada com a passagem do horário laboral para as 35 horas.
O Agrupamento de Escolas de Real arranca o novo ano lectivo com cerca de um milhar de alunos - um número que se mantém, o que para a directora do agrupamento é, só por si, um motivo de “satisfação”. “Somos uma escola de periferia, mas pese embora esse facto penso até que é uma mais-valia em termos do nosso projecto educativo e no apoio que damos também aos alunos com necessidades educativas especiais e tendo em conta o nosso clima de segurança é uma aposta ganha”, destacou Célia.
Abrangendo uma área de oito freguesias, o facto é que o Agrupamento de Celeirós dá resposta a alunos de mais de 22 freguesias - algo que a directora refere como “a tradução da confiança dos pais e encarregados de educação no projecto que estamos a desenvolver”, destacou Célia Simões.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.