Correio do Minho

Braga,

- +
Abstenção ganhou em todo o Minho
Sofrer um golo logo no arranque e nunca mais encontrar o caminho da resposta

Abstenção ganhou em todo o Minho

Semana da Leitura em modo online

Abstenção ganhou em todo o Minho

Nacional

2021-01-25 às 06h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Elevada abstenção marca o resultados das eleições de ontem. No distrito de Braga atingiu os 51,48% e em Viana do Castelo 61,51%.

No distrito de Braga houve dois vencedores: Marcelo Rebelo de Sousa, que conquistou 63,93% dos votos, e a abstenção que atingiu os 51,48%, de acordo com as votações divulgadas pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna – Administração Eleitoral.
Dos 776.394 eleitores inscritos neste círculo eleitoral, apenas 376.668 exerceram o seu dever cívico.
A percentagem da abstenção é bastante superior à verificada nas Presidenciais de 2016, que também tinha sido significativa: 46,95%.

Já o círculo eleitoral de Viana do Castelo, a abstenção atingiu percentagens ainda mais elevadas. Dos 237.890 eleitores inscritos, apenas 91.563 foram votar, o que se traduziu numa abstenção de 61,51%.
Nas Presidenciais de 2016 a abstenção tinha sido muito elevada no Alto Minho, ficando perto dos 56%.
Tal como em Braga, também no distrito de Viana do Castelo o vencedor foi Marcelo Rebelo de Sousa com 63,66% dos votos.

A nível nacional, com 99,84% dos votos contados, a abstenção atinge os 54,64%, valor bem superior aos 51,38% das Presidenciais de 2016.
As eleições de ontem foram marcadas pela obrigatoriedade de cumprimento das regras de segurança devido à pandemia, nomeadamente a distância social, que acabou por se traduzir na criação de longas filas que muitos eleitores tiveram de enfrentar e que davam erradamente a sensação de que a abstenção não seria tão elevada como nas votações anteriores.

Dois protestos marcam eleição

Dois protestos no distrito de Braga marcam o acto eleitoral de ontem. Em Cambeses, Barcelos, a população apelou à abstenção, num protesto pacífico e anunciado contra a falta de saneamento na freguesia. Já em Cabeceiras de Basto, a GNR foi chamada a Moimenta, freguesia de Cavez, para abrir as portas da antiga escola primária, onde foi instalada uma secção de voto, que foram fechadas a cadeado.
Em Cambeses, José Campos, um dos dinamizadores do protesto, disse à Lusa que “a ideia é mediatizar a questão da falta de saneamento em Cambeses, para ver se alguém finalmente se lembra de nós e faz a ligação ao saneamento. Doze anos à espera parece-nos demasiado tempo”.
“Gostávamos que ninguém viesse votar, mas não impedimos ninguém de o fazer. Quem quiser votar, vota, naturalmente. O que nós queremos é deixar aqui o nosso apelo, o nosso alerta para a falta de saneamento e para tudo o que isso acarreta, até em termos de saúde pública”, acrescentou.
O presidente da Junta de Cambeses, Agostinho Silva, disse à Lusa que a autarquia “está fora do protesto”, mas sublinhou que, “como cidadão”, comunga da reivindicação do saneamento.
O presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes, já disse que a questão do saneamento em Cambeses “está dependente” da construção da ETAR em Cristelo.
Em Cabeceiras de Basto, quando os elementos da mesa de voto chegaram à antiga escola de Moimenta depararam-se com o portão fechado a cadeado e dois cartazes que explicavam o motivo do protesto. “O povo de Moimenta quer o alargamento das curvas da Estrada Municipal” e “Para onde foi o dinheiro que a Iberdrola deu à Câmara? Aqui não veio ter nenhum.” eram as frases nos cartazes. A GNR foi chamada e com recurso a uma rebarbadora foi cortado o cadeado, permitindo que as urnas abrissem praticamente às 8 horas como estava previsto.
* com LUSA

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho