Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
200 cantores amadores interpretam O Messias participativo, da Fundação ”la Caixa” e do BPI, no Theatro Circo de Braga
Acordaram tarde, a más horas e sem engenho para mais em Vila do Conde

200 cantores amadores interpretam O Messias participativo, da Fundação ”la Caixa” e do BPI, no Theatro Circo de Braga

O combate à corrupção é de todos

200 cantores amadores interpretam O Messias participativo, da Fundação ”la Caixa” e do BPI, no Theatro Circo de Braga

Braga

2019-12-02 às 20h20

Redacção Redacção

O formato participativo faz deste concerto uma proposta única e diferente; uma experiência enriquecedora que torna realidade o sonho de cantores com certo conhecimento musical de trabalhar em estreita colaboração com orquestras e diretores profissionais e interpretar um trabalho de referência do repertório sinfônico-coral num grande auditório.

Há 24 anos impulsionados pela Fundação ”la Caixa”, os concertos participativos oferecem aos fãs da música a oportunidade de participar num importante projeto pedagógico e musical. Fazem-no em conjunto com músicos e artistas profissionais de reconhecido prestígio e com uma das obras mais emblemáticas e significativas do repertório de todos os tempos: O Messias de Händel. No Theatro Circo de Braga, trata-se da primeira edição do concerto.

O formato participativo faz deste concerto uma proposta única e diferente; uma experiência enriquecedora que torna realidade o sonho de cantores com certo conhecimento musical de trabalhar em estreita colaboração com orquestras e diretores profissionais e interpretar um trabalho de referência do repertório sinfônico-coral num grande auditório.

Desta forma, este concerto participativo é muito mais do que um concerto. Remove as barreiras entre o palco e o público e gera um novo espaço para integração, no qual uma ampla gama de cantores amadores partilha essa celebração emocional coletiva da música com músicos profissionais e também com todos os participantes.

A experiência vivida pelos 200 cantores não profissionais já começou com o trabalho individual de cada um dos grupos de corais; assim como com o início dos testes conjuntos no mês passado de novembro. No total, foram mais de 30 horas de ensaios coletivos; um intenso trabalho de preparação liderado pelos maestros ensaidaore Ana Calheiros, Ana Rute Rei, Miguel Leitão e Raquel Couto para atingir os objetivos estabelecidos pelo diretor Paul McCreesh. Sob a direção do prestigiado diretor, atuam no Theatro Circo a Orquestra Barroca Casa da Música e o Coro Casa da Música, juntamente com um proeminente grupo de solistas formado por Anna Dennis, soprano; Caitlin Hulcup, contralto; Thomas Walker, tenor; e David Stout, baixo.

A estes foram adicionados, nos seus respectivos lugares, cantores não profissionais, de sete grupos corais da região: Arquicoro, Coral Mille Voci, Coro Agrupamento de Escolas Rio Tinto, Coro Lira, Orfeão de Merelim, Coro do 9º Ano do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian Braga e Coro do Secundário de Conservatório de Música Calouste Gulbenkian Braga.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.