Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Voluntários na Educação

‘O que a Europa faz por si’

Escreve quem sabe

2011-11-18 às 06h00

Carlos Alberto Pereira

No passado fim de se-mana, o CNE viveu mais uma atividade inserida no seu programa de comemorações do ano europeu do voluntariado, proclamado pela Comissão Europeia - as 48 horas do voluntariado. Assim durante dois dias, por todo o país, mais de 3 mil escuteiros desenvolveram 82 projetos de solidariedade.
O Corpo Nacional de Escutas é a associação que congrega o maior número de voluntários adultos permanentes em Portugal, mais de treze mil, e o programa educativo que propõe aos jovens, constitui uma significativa escola de voluntariado, através de desafios pessoais e de atividades de serviço à comunidade.
Ora, no ano escutista de 2010/2011, o Corpo Nacional de Escutas viveu o tema ‘Caridade’, sob a égide da Beata Teresa de Calcutá, e no de 2011/2012, com Maria, inicia ‘Caminhos de Esperança’, tendo como referência a ‘Anunciação’ e a ‘Maternidade’. Assim, com o propósito de promover a vivência do Ano Europeu para o Voluntariado, estabeleceu o seguinte programa comemorativo:

a) adultos:
Registo do testemunho de vida quotidiana de 10 dirigentes - num conjunto heterogéneo em termos etários, regionais, etc. - a divulgar nos 10 números da Flor-de-Lis a publicar em 2011; serão 10 crónicas de vida onde os 13 mil Dirigentes se vejam e revejam.
Colocação diária, durante o ano de 2011, de uma frase (possibilidade de intercalar com imagem) alusiva ou dedicada ao voluntariado, de fontes várias - Baden-Powell, Evangelhos, Textos do Magistério, Literatura, etc.
Produção de documento, sobre a conciliação escutismo e família em eventual parceria externa, sobre a conciliação do trabalho escutista com a vida familiar.
Produção de texto(s) a publicar na Flor-de-Lis, ou documento(s) a publicar de forma autónoma, sobre o voluntariado e a missão do cristão (leigo).

b) jovens:
Campanha de reforço da mensagem e do sentido da boa-ação, como primeira forma de voluntariado.
Promoção da realização de, ou participação em atividades de serviço que aprofundem a interação do CNE com a comunidade e impulsionem um crescimento pessoal de cada um dos seus elementos enquanto cidadãos ativos e intervenientes na construção de um mundo melhor.
Promoção da participação de caminheiros e companheiros, designadamente no quadro do respetivo desafio, em oportunidades educativas externas à Associação.

c) comunicação:
Apresentação do Corpo Nacio-nal de Escutas como sendo, simultaneamente, associação de voluntários na educação e escola de voluntariado.
Desenvolvimento e implementação, no quadro de uma estratégia de comunicação e imagem global para a Associação, de uma estratégia específica para o Ano Europeu do Voluntariado, que garanta uma presença programada do Corpo Nacional de Escutas no espaço mediático.
Preparação e disponibilização de materiais - textos, artigos, reportagens - para eventual utilização pelos meios de comunicação social, aproveitando elementos recolhidos para uso interno.
Preparação e disponibilização de um kit de comunicação específico para o Ano Europeu do Voluntariado a disponibilizar às estruturas regionais e locais.
Dedicar o calendário escutista de 2011 ao tema do voluntariado.

d) Associação:
Enriquecimento do acervo documental do Corpo Nacional de Escutas com traduções dos mais recentes e pertinentes textos e documentos alusivos ao voluntariado, emanados pela WOSM ou outras entidades relevantes.
Produção de documento que compile a política de voluntariado do Corpo Nacional de Escutas.
Definição do perfil do dirigente do Corpo Nacional de Escutas.
Participação ativa na organização no Congresso do Voluntariado organizado pela Confederação Portuguesa do Voluntariado e promoção da participação neste.
Desenvolvimento e aperfeiçoamento do módulos dirigentes no sistema integrado de informação escutista, em articulação com o processo RSF e outras necessidades.
Desenvolvimento de linha de ação e iniciativas promotoras e formativas do exercício de voluntariado como staff dos centros e campos escutistas.
Produção de documento sobre o voluntariado no quadro da proteção civil, identificando e esclarecendo o papel do Corpo Nacional de Escutas, donde derivem do-cumentos de protocolo para as diversas estruturas.

e) agenda política
Definição dos temas políticos, associados ao voluntariado, sobre os quais o Corpo Nacional de Escutas, tendo uma posição, pretende encetar um diálogo político com as autoridades próprias.
Envolvimento pró-ativo do Corpo Nacional de Escutas na organização, expansão e iniciativas da Confederação Portuguesa do Voluntariado.


f) estudos:
Desenvolvimento de estudos, em eventual parceria, sobre a caracterização sociológica dos voluntários do Corpo Nacional de Escutas.
Desenvolvimento de estudos, em eventual parceria, sobre a motivação pessoal dos voluntários do Corpo Nacional de Escutas, bem como dos respetivos fatores de motivação (reward) interna e externa, nas perspetivas da adesão e da permanência (retaining).
Desenvolvimento de um estudo comparado da política e do enquadramento do voluntariado nas Associações Escutistas Europeias, e eventualmente outras.

g) celebrações:
Assinalar o Dia Internacional do Voluntário - 5 de dezembro - com uma prenda simbólica alusiva a entregar a cada Dirigente.
Focar a receção alusiva ao aniversário do Corpo Nacional de Escutas no papel e generosidade do voluntariado.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

13 Novembro 2018

À descoberta de Guadalupe

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.