Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

Você é seu amigo ou seu inimigo

#umcafécomdesign

Você é seu amigo ou seu inimigo

Escreve quem sabe

2020-09-13 às 06h00

Joana Silva Joana Silva

Seja amigo de si próprio/a, o número um. Quantas vezes, se maltratou psicologicamente, ao atribuir-se características negativas a seu respeito?! Seja sincero/a. Nunca? Algumas vezes? Quase sempre ou sempre? É um facto que tem dias em que nos sentimos “mais em baixo” seja porque, nem sempre as coisas correm bem (de realçar que não existe ninguém que seja sempre bem-sucedido/a em tudo). Há sempre algum detalhe da vida que falha. Mas, muitas vezes somos cruéis connosco próprios. Das duas situações seguintes uma, ou se está tão “cansado da vida”, quase como diz o ditado popular nortenho, “rema-se contra a maré e nada” em que simplesmente parece que o dia-a-dia é feito de acontecimentos negativos em forma de avalanche que em qualquer momento vai ceder e ficamos subterrados. Ou por outro lado, parece que todas as pessoas que “aparecem no caminho”, são de natureza emocional toxica. São as que identificamos na gíria popular de “más” que em vez de “empurrarem para a frente” fazem-no no sentido inverso . Aqui nesta situação é necessário compreender um aspeto muito importante o “aprender a proteger-se”. É de certa forma um requisito de sobrevivência. Importa num primeiro ponto, e a propósito do primeiro aspeto, o “remar contra a maré “ clarificar o seguinte, que ao contrário do que se possa pensar, e do que possa ser menos visível aos nossos olhos, acontecem igualmente situações boas em registo diário, todavia nem sempre são valorizadas ou percebidas como tal. Certamente que já lhe disseram, “Estás tão giro/a hoje.” e simplesmente você desvalorizou (não reagiu) ou até retorquiu , “ Se soubesses, o que já me aconteceu hoje de mal.” Pois bem, uma situação não relaciona a outra. São situações distintas. Mas por vezes, a nossas emoções estão tão desreguladas e não equilibradas que tudo o que é dito é automaticamente canalizado para o sentido negativo. Uma espécie de relação de causa efeito entre o que já se viveu e o que não se acredita mais e que iguala a uma visão solitária do “tudo mau e tudo péssimo”. Separe! Para bem da sua saúde mental e da sua felicidade. Aprenda a ser você, com os seus defeitos e qualidades. E quando o/a elogiarem aceite e sobretudo valorize. Valorize o elogio e valorize-se a si próprio/a. Afinal você é ou não é o seu melhor amigo/a?! Deve-o o ser! Não obstante, e numa outra linha de pensamento, e como já foi referido anteriormente é preciso e necessário também “aprender a proteger-se”. Como? Através do distanciamento emocional e ao mesmo tempo, fazer a leitura correta objetiva das situações em si e do que lhe dizem. As palavras também retraem. Neste sentido, é importante não partilhar as suas ideias ou projetos com pessoas que lhe apenas sabem dizer “ És um sonhador/a e os sonhos não levam a lado nenhum.” Ao ouvir isto, como se vi sentir? Desmotivado/a e desmoralizado/a, no mínimo, certo? Para que contou então? Não conte. Há por outro lado, aqueles que dizem “sim, sim e sim” que dão aquele empurrão e nos fazem sentir poderosos/as de tal forma que nos elevam o ego. Mas… não são os mais verdadeiros. Pense, demasiado facilitismo, não é um bom sinal. Proteja-se então. Não conte os seus medos ou inseguranças com quem não tem confiança ou já lhe deu provas que não é digno/a disso. Na primeira oportunidade que algo não agradar de si a essa pessoa, irá utilizar essa fragilidade. Não partilhe com quem aparentemente “torce” mas no mais intimo do ser não. Agora quando lhe colocam os “prós e contras” “cara a cara”, é a forma mais honesta de ver uma verdade. Perceba igualmente que às vezes somos o nosso próprio inimigo e nos magoámos mais com os nossos próprios pensamentos que criámos do que o que nos dizem. Não dê bons conselhos só aos outros, dê a si próprio/a. Da mesma forma que você tem compaixão pelos outros, tenha compaixão por si. Da mesma forma que tenta entender os comportamentos de outras pessoas mesmo que nem sempre os mais corretos, tente entender os seus. Da mesma forma, que tenta minimizar as falhas dos outros em relação a si, minimize as vezes que falha porque ninguém é perfeito. Você é o seu melhor amigo. Mime-se com bons pensamentos e boas palavras.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

23 Setembro 2020

Novo ano, “ano novo”!

22 Setembro 2020

Setembro

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho