Correio do Minho

Braga, terça-feira

Vidas em Stand-by

À espera do S. Geraldo e da política cultural

Escreve quem sabe

2018-01-14 às 06h00

Joana Silva

Preste atenção aos sinais. A sociedade veste-se de felicidade quando o coração chora. Pessoas que, quase nunca podem ser elas próprias, que carregam na alma a tristeza. O coração diz: chora! A razão diz: Nem penses! Ninguém sente pena de ninguém. Quem são estes rostos? Pessoas que tem todas as suas áreas de vida afetadas. As áreas de vida são quatro: campo pessoal, o campo profissional, o campo dos relacionamentos sociais e, por fim a saúde.
Para que a pessoas seja feliz, deve haver um equilíbrio das quatro. Se uma área de vida é difícil de gerir, quatro então . Suponha que tem um péssimo trabalho, onde não se sente minimamente realizado (área profissional afetada) e de cada vez que vai para trabalhar ao entrar no edifício sente náuseas e dores de cabeça, que desaparecem mal termina o dia de trabalho como por magia (área da saúde afetada neste caso mental e física) quando vê ou se encontra com aquela amizade de longa data em que não é necessário dizer nada, que faz a leitura do estado emocional num primeiro click ocular, Os teus olhos dizem tudo, queres falar?.

Neste sentido, pode dizer-se que umas áreas equilibram outras áreas. Hoje as pessoas preocupam-se menos umas com as outras, procuram satisfazer os seus desejos e caprichos na primeira pessoa, numa espécie de narcisismo social, em que o mundo gira à sua volta. Por um relacionamento, independentemente da sua natureza, implica o dar e receber. Implica o cuidar, o importar! A empatia (processo psicológico que implica a capacidade de se colocar no lugar do outro) parece ultrapassada.

A palavra gratidão não consta no dicionário moral de pessoas em que foram ajudadas e posteriormente trapacearam quem as auxiliou. Como gerir estas emoções? Ninguém é imune às deceções. Talvez, por esta razão, o número de pessoas que tem as quatro áreas afetadas aumentou vidas em Stand by. São pessoas com sérios problemas nas três grandes áreas: pessoal, profissional e social, cujos problemas acabam por se repercurtir na saúde.
Admirado(a)?! Analisemos então, como o seguinte exemplo. Imagine que alguém coabita numa família disfuncional, onde a agressão verbal e o mau ambiente é constante. Para além disso, apesar de ter uma profissão de que gosta, as pessoas à sua volta, não são de boa índole, vê mas nada diz para não ter problemas. Acresce o défice social, em que os amigos narcisistas de sentimentos, narram as suas pseudo- histórias em que Só a mim; Nunca tal vi, só comigo; Eu sei que tenho razão, e X está errado, onde procuram ser escutados com as verdades mentiras que eles querem ouvir. Essas áreas (não)felizes, mais uma vez trazem danos à saúde, pelo intenso stresse negativo. Quem não quer um porto seguro?! E assim se cansam e assim se desiste de viver.

Há quem se refugie em vícios maus lado a lado no mesmo caminho desviante com outras pessoas no mesmo sentimento, numa espécie estamos todos no mesmo barco. Todavia esse não é, nem nunca será o caminho. É preciso, olhar para a vida, com olhos de ver. Somos sempre importantes na vida de alguém, sempre! Somos importantes, para o filho(a), para o(a) vizinho(a), para o(a) colega de trabalho(a), para aquela pessoa que encontramos todos os dias no elevador, ou até para o(a) desconhecido(a) que vai à padaria buscar o pão e nos faz uma festa!. Talvez não preencha o coração de imediato, mas são estes pequenos detalhes da vida que grão a grão nos fazem refletir. Se não tem a família que deseja, estruture a sua vida. Mude-se para um lugar que o faça verdadeiramente feliz. Faz o que gosta mas os colegas são tóxicos? A resposta está em si e você sabe que em todos os trabalhos à problemas.

Não se deixe afetar por colegas que na verdade tem ciúmes de si. Implicar gratuitamente é uma ação pobre de pessoas de espírito que nada verdade querem viver a sua vida e não a deles. São fãs não assumidos, cheios de frustrações doentias que estão sempre a ver o que tem ou que faz para comentar negativamente. Bloquei-os(as) da sua vida! Por mais excelente pessoa que seja, Ninguém agrada a gregos e a troianos. Se os seus amigos não são amigos de verdade, pondere acha que vale a pena ter perto de si, pessoas que em nada contribuem para o seu bem-estar e só falam de si próprias?!Amizade não é isso. Liberte-se, pois amizades não faltam (mas guarde sempre o melhor para si), para sair e para se divertir. Não tenha vergonha de chatear as pessoas com os seus problemas se as mesmas também o(a) chateiam a si! Não permita que a sua vida fique em stand by por terceiros. A vida é isso mesmo, são todos(as) aqueles que ficam mas sobretudo que passam por nós! Invista em si!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.