Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Um retrato do Minho no portal Infoescolas

A serenidade dos nossos lugares sagrados

Voz às Escolas

2018-04-26 às 06h00

José Augusto

O portal Infoescolas apresenta um vasto conjunto de informações sobre o sistema educativo português. Com um acesso fácil e organização intuitiva, é possível a qualquer cidadão consultar informação muito pertinente sobre as principais características e resultados dos alunos das escolas portuguesas. No que diz respeito aos ensinos básico e secundário, é possível consultar diversos indicadores de frequência, organizados por níveis de ensino e por escolas, sendo também possível consultar os resultados agregados para Portugal continental, para cada distrito e para cada concelho e, em qualquer dos casos, fazer leituras comparativas com os indicadores nacionais. No que concerne ao ensino superior, além de um inventário extensivo de todos os cursos, e de indicadores muito importantes sobre o seu funcionamento, o portal Infoescolas apresenta informação relevante sobre os resultados de cada curso superior e sobre o acesso a cada um deles.

Nos últimos anos, o portal Infoescolas evoluiu, passou a incluir indicadores mais avançados e já apresenta informação sobre as escolas privadas e sobre os cursos profissionais. Em jeito de incentivo aos nossos leitores, para que visitem o portal e façam as suas pesquisas, trazemos alguns traços do retrato do estado da educação nos dois distritos desta nossa região do Minho com base nos dados estatísticos nele disponíveis.
No que diz respeito ao 1º ciclo do ensino básico, em 2015/16, nos distritos de Braga e de Viana chama a atenção uma taxa de retenção de 6% no 2º ano. Nos restantes anos, 3º e 4º, ela é muito mais reduzida, na casa de 1%, em ambos os distritos minhotos. Comparativamente, no território continental, as taxas de retenção foram mais elevadas. No 2º ano foi de 9%, no 3º de 3% e no 2º de 2%. Em suma, ainda que mantendo desafios de melhoria, os distritos minhotos apresentam resultados escolares bastantes melhores que os resultados médios nacionais.

No que concerne ao 2º ciclo do ensino básico, também em 2015/16, o portal Infoescolas mostra taxas médias de retenção de 3%, no 5º e 6º ano, no distrito de Braga e de 4% no distrito de Viana do Castelo. Em contrapartida, para o território de Portugal Continental, aquelas médias são o dobro, ou seja 7%, pelo que os resultados do trabalho das escolas e dos alunos minhotos também sobressaem pela positiva.

No 3º ciclo do ensino básico, no mesmo ano, no 7º, 8º e 9º anos, o distrito de Braga apresenta taxas de retenção de 9%, 6% e 7%, respetivamente. Em Viana do Castelo registaram-se resultados ainda melhores, respetivamente 6%, 4% e 6%. Estes resultados minhotos comparam com taxas nacionais de 12% de retenção no 7º ano, 8% no 8º ano e 9% no 9º ano. Noutro indicador, a taxa de percursos diretos de sucesso, isto é, de alunos que fizeram o 3º ciclo sem reprovações e obtiveram positiva nos dois exames nacionais do 9º ano, o portal mostra que, nos três últimos anos escolares (2016/17, 2015/16 e 2014/15), os distritos minhotos obtiveram sempre taxas superiores às dos alunos do país que tinham um nível semelhante à entrada do 3º ciclo. Em conclusão, também neste ciclo de ensino, os distritos da região do Minho, apresentam resultados que se situam entre os melhores do país.

No ensino secundário os dados apresentam-se agregados por modalidade de ensino, ou seja, por tipo de curso – profissional ou científico-humanístico. Em 2015/16, no distrito de Braga, 36.8% (11.730) alunos estavam matriculados no ensino profissional, em 51 escolas, sendo 59% rapazes. No distrito de Viana do Castelo 38.1% (3.220) dos alunos estava nessa modalidade, em 23 escolas, sendo também 59% rapazes. Em Portugal continental, o ensino profissional era frequentado por apenas 31.3% dos jovens matriculados, sendo 58% rapazes. Os cursos científico-humanísticos abrangiam 57.7% dos jovens matriculados, sendo 55% raparigas. No mesmo ano, em Braga, os cursos científico-humanísticos eram frequentados por 58.9% dos alunos matriculados no ensino secundário. Em Viana, frequentavam esses cursos 51.4% dos alunos. Em ambos os casos eram maioritariamente raparigas (55%). Neste cenário, cumpre também realçar os bons resultados dos alunos da região. No referido ano, em Braga e em Viana, 65% dos jovens concluíram os seus cursos profissionais em 3 anos. Em comparação, a média taxa nacional de conclusão em 3 anos dos alunos com perfil semelhante foi de apenas 60%. Também no que diz respeito aos cursos científico-humanísticos, verifica-se que nos três últimos anos escolares as taxas regionais minhotas de percursos diretos de sucesso têm sido superiores às médias nacionais. Em 2016/17, foram de 48% em Braga e em Viana, contra 45% dos alunos de nível semelhante do resto do país. Portanto, também no ensino secundário, os resultados dos alunos da região do Minho foram bastante superiores à média nacional para alunos semelhantes.

Para os interessados, como dissemos, este tipo de exercício pode também ser feito para comparar os resultados entre concelhos e entre escolas, públicas ou privadas, desde que possuam as mesmas ofertas educativas. Em tempo de matrículas e, para alguns, de escolha de escolas, talvez valha a pena olhar mais para dados objetivos do que para pergaminhos de atualidade duvidosa!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.