Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Tratamos mal os nossos idosos

Escrever e falar bem Português

Ideias

2018-02-26 às 06h00

Paulo Monteiro

Ainda não escrevi este texto até ao fim e já coro de vergonha. Muitas vezes temos boas notícias e somos os melhores em muitas coisas, mas em relação aos nossos idosos devíamos ter vergonha da maneira como os tratamos e são tratados.
A Organização Mundial de Saúde (OMS) tornou público nos últimos dias o seu Relatório de Prevenção contra os Maus Tratos a Idosos. Neste estudo a OMS analisa as agressões nos últimos cinco anos contra os mais velhos, num universo de 53 países europeus, e conclui que Portugal tem um sério problema no que respeita aos maus tratos contra idosos, sendo um dos cinco piores países no tratamento aos mais velhos, com 39% dos idosos vítimas de violência.

Da lista negra fazem parte apenas mais quatro países: Sérvia, Áustria, Israel e República da Macedónia. É, de facto, vergonhoso e ainda mais se estivermos atentos aos últimos números que nos chegaram... Segundo o presidente da Comissão de Protecção ao Idoso, Carlos Branco, em Portugal há um aumento do número das vítimas idosas, apresentando agora 1.009 pessoas idosas vítimas de crime (em média três por dia e 19 por semana).

Das 1.009 vítimas registadas em 2016, contra 774 em 2013, 679 tinham idades entre os 65 e os 79 anos (67,4%) e 330 tinham entre 80 e mais de 90 anos (32,6%). É, simplesmente horrível. Temos que mudar rapidamente este panorama, tanto mais que a nossa população está cada vez mais envelhecida.

Os dados de 2016 dizem-nos que temos 148,7 idosos por cada 100 jovens. 20,9% da população tem mais de 65 anos e 14,1% de jovens com menos de 15 anos. Este é um problema real do nosso país. Um problema que tem de ser resolvido e não pode mais ser adiado. Há que dar condições humanas e de segurança aos nossos idosos. Eles têm esse direito como nós teremos um dia... quando lá chegarmos!

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

23 Abril 2018

O Parlamento que temos

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.