Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Tratado de Lisboa

Greve

Ideias

2018-08-23 às 06h00

Paulo Monteiro

Este Tratado de Lisboa já tem anos... e não é o Tratado de Lisboa assinado pelos países membros da União Europeia. a 13 de Dezembro de 2007, em Lisboa e que entrou em funcionamento a 1 de Dezembro de 2009. Aliás, este mesmo Tratado começou por se chamar Tratado Reformador. Mas lá ficou de Lisboa e... também conhecido, entre nós, como o “porreiro pá”, a frase que Sócrates segredou ao ouvido de Durão Barroso.
Mas... o Tratado de Lisboa de hoje foi assinado em 1864 entre Portugal e Espanha e fixou as fronteiras entre os dois países, desde a foz do rio Minho até à foz da ribeira do Caia com o Rio Guadiana.
E... com o Tratado de Lisboa acabou por desaparecer o Couto Misto, uma pequena área que até então ninguém queria, perto de Chaves e que nos mostrou a primeira grande união entre o Norte de Portugal e a Galiza. Tinha uma soberania própria entre portugueses e galegos. Uma zona de comércio livre e onde as autoridades não se envolviam. Era por ali que passava todo o contrabando e se faziam grandes negócios. Com o Tratado de Lisboa, famílias ficaram divididas umas de um lado e outra do outro lado da fronteira. Assim também nós tivemos a nossa história de divisões de famílias por causa de uma fronteira. E que ficou pior quando Franco, o ditador espanhol chegou ao poder e proibiu qualquer tipo de contacto ou de passagem por aquelas terras. Essa divisão trouxe pobreza aos galegos, enquanto os portugueses já no regime de Salazar, acabaram por ter maior desenvolvimento. Então, nessa altura, a divisão entre Portugal e Espanha era vista à noite pelas luzes nas casas... Enquanto nós já tínhamos electricidade, naquela zona de Ourense, as casas eram iluminadas com lamparinas de azeite. Só muitos anos depois é que a economia se inverteu...
Histórias que devem ser recordadas para não serem mais repetidas....

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.