Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +

Tenham vergonha

A Biblioteca Escolar – Um contributo fundamental para ler o mundo

Ideias

2015-10-16 às 06h00

J.A. Oliveira Rocha J.A. Oliveira Rocha

Fiquei deveras boquiaberto com o cinismo, ou ingenuidade do Comité Nobel, ao atribuir o Prémio Nobel da Paz a quatro organizações tunisinas que haviam contribuído para a paz e entendimento na Tunísia, após a Primavera Árabe iniciada em 2010. E isto apesar da Tunísia ser o maior centro de recrutamento do Estado Islâmico e dos atentados recentes que duma só vez mataram 22 turistas e da outra 38 veraneantes na praia de Sousse. O país entrou em recessão com a quebra das receitas do turismo.

Mas falo em cinismo porque foi o Ocidente que incentivou e apoiou a Primavera Árabe. Depois do “sucesso” no Afeganistão e Iraque, os ocidentais tomaram como objetivo exportar a democracia para os países árabes da borda do Mediterrâneo. Primeiro foi a Tunísia em que foi afastado Bem Ali e que só por um triz não caiu nas mãos dos islamitas. Depois foi o Egipto cujas eleições foram ganhas pela Irmandade Muçulmana, afastada pelos militares que impuseram um regime nada diferente do de Hosni Mubarak. A democracia Ocidental esfumou-se!... Depois foi a Líbia de Kadafi que após a intervenção ocidental, se transformou num agregado de tribos que se guerreiam entre si e que lançam nas praias do sul da Itália milhares de refugiados. Finalmente, foi a Síria de Assad.

Os governos ocidentais estavam convencidos que as forças liberais instaurariam um estado democrático, mas quem ganhou foram os islamitas.
Todos os líderes depostos são filhos bastardos de Nasser que sabem que sem um sistema político musculado o estado cai facilmente nas mãos de forças políticas retrógradas, inimigas dos valores ocidentais.
Os vencedores do Império Turco na Primeira Guerra Mundial já haviam cometido erros crassos ao criar países artificiais sob o nome de mandatos da Sociedade das Nações , na verdade verdadeiras colónias.

Mas de onde vem este fervor na defesa dos direitos humanos e da democracia ocidental? Será que não sabiam que esses países eram sistemas políticos instáveis em que o mais pequeno abanão podia levar à catástrofe? Acho que sabiam, mas a ganância do petróleo foi maior (o preço do petróleo baixou e a venda de armas aumentou). Não contavam é com a avalanche de refugiados que da Líbia e da Síria invadem a Europa.

Agora choram lágrimas de crocodilo, bombardeiam sem descer ao terreno e regateiam a ajuda aos deslocados.
De fato, vendo bem, as quatro associações tunisinas merecem o Prémio Nobel da Paz, pois evitaram a debandada dos tunisinos para as praias da Europa.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

30 Novembro 2020

Um Natal diferente

29 Novembro 2020

O que devemos aos políticos

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho