Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Somos o que comemos (II)

Aprender a viver sustentavelmente com o Programa Eco Escolas

Escreve quem sabe

2011-06-07 às 06h00

Ana Ni Ribeiro

O pão e as massas, a carne, os doces, os fritos e os queijos estão, sem dúvida, no top dos alimentos preferidos pelos portugueses.
Hoje, ajudarei a encontrar as melhores opções para quem come regularmente doces, fritos e queijos.

1. Viciados em doces

O açúcar é o ingrediente comum a todos os produtos doces mas é quando a este se junta a gordura ou o consumimos em excesso que surgem os principais problemas. Tal como o consumo excessivo de outro qualquer nutriente fornecedor de energia, o excesso de açúcar contribui para o excesso de peso e obesidade e para vários problemas de saúde associados como a diabetes e as doenças cardiovasculares. O excesso de al-guns doces pode levar ao aparecimento ou agravar a cárie dentária, especialmente os que se agarram aos dentes, como o caramelo.
As crianças até aos dois anos não devem consumir alimentos com adição de açúcar. Devem fazer uma educação fazer uma educação do gosto o mais natural e abrangente possível e, uma vez que a apetência é inata, o seu consumo precoce dificulta a introdução dos outros sabores. Em relação à frutose, muito utilizada por diabéticos, sabe-se que aumenta os níveis de triglicerídeos, níveis que já estão alterados no caso destes doentes e que elevam o risco cardiovascular.
Saiba escolher: as melhores opções são os doces com maior valor nutritivo, ou seja, que fornecem nutrientes essenciais - vitaminas, minerais e proteínas. Têm na sua composição lacticínios ou fruta e uma densidade calórica inferior, como o leite creme e os sorvetes. As piores opções são as que têm uma grande quantidade de gordura - como os bolos de chocolates, muito açúcar e aditivos. Os bolos folhados são uma má opção, pois são ricos em gordura saturada. Também os refrigerantes devem ser evitados.
Os doces devem ser consumidos após uma refeição principal para minorar os efeitos da gli-cemia no sangue. Pode optar por um doce menos calórico, comer uma porção mais pequena de um doce mais calórico ou combinar as duas técnicas!
Para se livrar do vício dos doces: coma várias vezes ao dia, em pequenas quantidades, e substitua os doces por hidratos de carbono complexos, como o pão integral, que são absorvidos lentamente e se mantêm durante mais tempo na corrente sanguínea.

2. Devoradores de queijo

Fonte de cálcio, vitamina A e do complexo B, o queijo é uma excelente opção para acompa-nhar o pão, e é uma óptima alternativa ao leite, à carne e ao peixe, como fonte de proteínas. Contudo, deve ser consumido com moderação pois promove facilmente a gula e tem um elevado teor de gordura e sal.
O queijo fresco e o requeijão, com um baixo teor de gordura e sal, são boas escolhas para pessoas diabéticas e em dietas de perda de peso. Entre os queijos maturados e curados, o flamengo, de preferência com teor de gordura inferior a 20%.
Uma fatia de pão com queijo e um copo de leite são um excelente lanche. Para variar da carne/peixe à refeição, uma salada com um queijo fresco ou um prato de massa ou arroz com uma porção de queijo (30-40g) fazem uma refeição nutricionalmente interessante.

3. Apaixonados por frito

Enquanto 1 g de proteína ou de hidrato de carbono fornece 4kcal, 1 g de gordura tem 9kcal e, portanto, ao serem fritos, os alimentos tornam-se mais calóricos, contribuindo para o excesso de peso. Se forem fritos em óleos e gorduras pobres em polinsaturados, fornecem gordura saturada que aumenta o mau colesterol. Além disso, ao ser aquecido o óleo deteriora-se, tornando-se fonte de radicais livres que contribuem para o aparecimento de doenças cardiovasculares, alguns tipos de cancro e envelhecimento precoce.
Este tipo de alimento deve ser consumido esporadicamente, nunca mais do que uma vez por semana. Todos nós devemos ter cuidado com o seu consumo, por serem muito ricos em calorias, gordura e sal, mas as pessoas com diabetes, excesso de peso, insuficiências renais e com problemas hepáticos e cardíacos devem redobrar esse cuidado.
Quando ingerir fritos deve acompanhar com alimentos ricos em fibra, como saladas e legumes, para que a refeição se torne mais equilibrada. Para quem gosta muito destes alimentos uma boa estratégia é passar a fazer tudo no forno: batatas fritas congeladas, panados, croquetes, rissóis…
Use sempre o azeite para fritar, pois tolera temperaturas mais altas sem se degradar, a segunda melhor opção é o óleo de amendoim.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

22 Janeiro 2019

Incertezas e futuro

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.