Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Sistema de formação de adultos no escutismo - Princípios-base

O Estado da União

Escreve quem sabe

2013-03-01 às 06h00

Carlos Alberto Pereira

O novo sistema de formação do Corpo Nacional de Escutas assenta sobre os seguintes princípios-base:
a) Formação personalizada
A formação deve adequar-se, na medida do possível, à particularidade de cada formando e do respetivo desenvolvimento pessoal e necessidades específicas para o desempenho funcional.

b) Valorização dos conhecimentos e das competências individuais de cada formando
A formação deve reconhecer os conhecimentos e as competências previamente adquiridas por cada formando, de forma a valoriza-las e não o sobrecarregar com obrigatoriedade de formação desnecessária.

c) Formação pedagógica de base na pedagogia e método escutistas
A formação deve, em primeira instância, habilitar os formandos para a missão educativa que lhes compete exercer junto dos jovens, pelo que o conhecimento claro da pedagogia e do método escutista são basilares na respetiva formação.

d) Formação focalizada no impacto junto dos jovens
A formação deve fundar-se nas necessidades da relação educativa adulto-jovem, procurando facultar conhecimentos, desenvolver competências e estimular atitudes junto dos formandos que se venham a refletir na ação destes junto dos jovens que acompanham.

e) Formação contínua ao longo do ciclo de vida do dirigente
A formação contínua, seja em termos de aprofundamento, enriquecimento ou atualização, deve constituir uma preocupação de cada dirigente quer em termos da sua permanente adequação à missão educativa e à realidade das crianças e jovens, quer em termos do seu próprio desenvolvimento pessoal, pelo que deve ser estimulada, assim como se devem proporcionar oportunidades formativas que a permitam.

f) Percursos de formação de educadores, de formadores e de gestores
A formação deve atender às necessidades funcionais da Associação, pelo que deve proporcionar percursos formativos de educadores - fundamentais para a prossecução da sua missão educativa - mas também percursos formativos de formadores (que assegurem o sistema de formação) e de gestores (que garantam o governo da Associação).

g) Insígnia de Madeira como formação pedagógica aprofundada.
A formação pedagógica aprofundada constitui a base para a obtenção da Insígnia de Madeira.

h) Formação de uma consciência da dimensão global do Movimento
A formação, pela especificidade e diversidade dos seus conteúdos, deve estimular o desenvolvimento de uma consciência da dimensão global do Movimento.

i) Percursos formativos constituídos por cursos de formação base complementados com formação monográfica
A formação estrutura-se em percursos formativos que contêm cursos de formação base (que asseguram a seleção e homogeneidade de elementos formativos essenciais de cada percurso) e são complementados por formação monográfica adicional (que responde às necessidades e interesses particulares de cada formando), a qual pode ser obtida interna ou externamente.

j) Oferta interna de formação diversificada e de curta duração
O CNE deve proporcionar oportunidades formativas internas de curta duração e tematicamente diversificadas, que permitam um mais fácil e flexível acesso dos formandos à formação, as quais devem ser valoradas segundo um sistema de créditos.

k) Promoção e valorização interna de oportunidades de formação externa
A formação obtida em espaços e entidades externas à Associação deve ser igualmente valorizada e cotada segundo o mesmo sistema de créditos.

l) Utilização da formação e-learning e b-learning
Na formação, a par e em complemento da formação presencial, devem ser exploradas, quando se justifique e se adeque, as potencialidades, não descurando as limitações, das novas plataformas colaborativas de formação à distância, designadamente e-learning e b-learning.

m) Reforço do papel da tutoria na formação
Na formação devem estar presentes formas de tutoria que permitam, nos percursos formativos, um acompanhamento e aconselhamento personalizado dos formandos.

n) Reforço das funções de gestão da formação ao nível local
A formação deve alicerçar-se numa lógica de proximidade, a qual permite uma melhor avaliação de necessidades de formação e de aconselhamento/encaminhamento dos formandos para a formação.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.