Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +

Ser voluntário

Três em linha para uma sardinha

Ser voluntário

Escreve quem sabe

2023-05-30 às 06h00

Margarida Pereira Margarida Pereira

Caro leitor, não podemos começar a escrever a nossa crónica, sem antes pedirmos que reflita sobre a importância do voluntariado. Qual o verdadeiro impacto do voluntariado na sociedade atual? É voluntário?
Quando refletimos sobre a importância do voluntariado na sociedade atual, reconhecemos, de imediato, o valor das missões do voluntariado social. Sem dúvida são fundamentais, conseguindo ajudar quem mais precisa através das mais variadas formas. Hoje em dia há inúmeras instituições com causas maiores e que tornam o mundo um lugar melhor.
Desde recolhas alimentares, recolha de produtos de higiene e até de roupas, não faltam oportunidades de ajudar. Quanto à ajuda, esta pode ser dirigida a famílias que habitam no nosso país, ou irem além-fronteiras chegando a países que atravessem algum tipo de dificuldade, como acontece agora com a Ucrânia, por exemplo.
A verdade é que estas missões acabam por ter um trabalho exímio na sociedade atual e deixam, também, a sua marca nas pessoas que as movem. Se falarmos com algum voluntário, independentemente da missão, vamos ouvir o testemunho de alguém que viveu na primeira pessoa o sentimento de missão cumprida. Vamos ouvir que ainda há muito por fazer, que ainda é possível melhorar e que a ajuda é sempre precisa.
Ser voluntário é, muitas vezes, fazer um trabalho que é invisível para a maioria dos cidadãos, mas fundamental para que tudo corra da melhor forma. Por exemplo, quando se faz uma recolha alimentar, é necessário ter alguém para acolher e para recolher, depois será preciso fazer o transporte, ter uma equipa para organizar, ter alguém para gerir e organizar todas estas equipas, é ainda preciso alguém para gerir a distribuição dos bens, sem nunca esquecer a exigida manutenção do espaço. Já pensou quantas pessoas são necessárias para uma “simples” campanha acontecer?
Importante é considerar que todas essas pessoas têm uma atividade profissional, têm família e amigos, mas têm, também, tempo para se entregar às causas, sem, acima de tudo, nunca esperar nada em troca!
Defendemos, no entanto, que é incalculável tudo aquilo que um voluntário recebe. Como voluntários que somos, podemos afirmar que damos muito de nós, mas recebemos também muito do voluntariado. Através das nossas missões, aprendemos a perceber a melhor forma de cumprir as missões a que nos propomos, a lidar com imprevistos, a gerir emoções. Trabalhamos a nossa comunicação e o trabalho em equipa, que muitas vezes falta na nossa sociedade que se isola cada vez mais. Hoje em dia, um jovem que tenha os seus estudos concluídos, não se consegue diferenciar dos restantes colegas, pois, até àquele momento, todos fizeram o mesmo caminho. Contudo, se algum deles tiver feito voluntariado, tem, desde logo, uma experiência que o poderá destacar do restante grupo, tem exemplos concretos de objetivos cumpridos e dificuldades ultrapassadas. Tem histórias para contar, tem memórias criadas e laços que jamais perderá. Não será por acaso que grandes empresas multinacionais e também nacionais, já atribuem aos seus colaboradores horas de trabalho para aplicarem num projeto de voluntariado. Tal acontece, não só pela consciencialização da empresa para causas sociais, mas, também, porque sabe que será uma experiência enriquecedora para todos os seus colaboradores.
O voluntariado, seja em que área for, cruza muitas vidas, quer das pessoas que usufruem dele, quer de quem é voluntário e vê a concretização de um projeto.
Agora, se voltarmos a colocar as mesmas perguntas que fizemos no início, será que teremos as mesmas respostas?
Qual o verdadeiro impacto do voluntariado na sociedade atual?
É voluntário?
Esperamos que depois desta partilha, se ainda não for voluntário, o queira ser. Um dia lemos que “o voluntário nem sempre tem tempo, ele tem vontade”, hoje esperamos que esteja com vontade de integrar um projeto maior, e se for na área da natureza e património, não se esqueça que a JovemCoop está de portas abertas para o receber.
Contamos consigo?

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho