Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Semana Europeia da Programação

Sem Confiança perde-se a credibilidade

Ideias

2014-10-16 às 06h00

Alzira Costa

A segunda edição da Semana Europeia da Programação decorre de 11 a 17 de outubro de 2014 e, proporcionará a milhões de crianças, pais, professores, empresários e decisores políticos reunir-se em eventos públicos e salas de aula para aprenderem programação e outras competências conexas.
A ideia é tornar mais visível a programação, desmistificar estas competências e juntar pessoas motivadas para aprender. São mais de 1500 eventos que procuram trazer o mundo digital até si em toda a União Europeia (UE) e noutros países.

Esta iniciativa, da autoria de Jovens Consultores da comissária Neelie Kroes (Vice-Presidente da Comissão Europeia), que atraiu o apoio de movimentos pró-programação e ensino, como a CoderDojo e o RailsGirls e de importantes empresas tecnológicas e de Tecnologias de Comunicação (TI), está ajudar a levar a programação a milhões de crianças, oferecendo sessões experimentais de programação e desenvolvendo módulos de aprendizagem, bem como ajudando a formar professores.

Empresas como a Rovio (Angry Birds), a Microsoft, a Google, a Telefonica, a Liberty Global e o Facebook apoiam a Semana Europeia da Programação, bem como a European Schoolnet e a Grande Coligação para a Criação de Emprego na Área Digital.
Neelie Kroes (Vice-Presidente da Comissão Europeia) referiu, a este respeito, que “as tecnologias digitais penetraram completamente nas nossas vidas, pelo que as gerações mais jovens, em particular, necessitam de adquirir competências nessa área, como a programação. No futuro próximo, tais competências serão fundamentais para conseguir bons empregos e essenciais para criar empresas”.

Um dos elementos pertencentes à organização da Semana da Programação, Alja Isakovic, da Eslovénia, afirmou que “É fantástico ver tanto entusiasmo com esta iniciativa em todos os cantos da Europa!

A programação é um instrumento divertido e criativo que oferece grandes
oportunidades de carreira, mesmo para quem não quer ser programador a tempo inteiro. Com a Semana Europeia da Programação queremos criar uma faísca detonadora, para que mais pessoas comecem a fazer de todas as semanas do ano uma semana da programação e se tornem melhores a resolver problemas”. Acrescentou ainda que “a tecnologia está a moldar as nossas vidas e não devemos permitir que uma minoria decida para que fim a utilizamos e de que modo. Todos nós podemos fazer melhor do que apenas partilhar e gostar. A programação permite dar vida às nossas ideias, construir coisas que farão os outros felizes”.

As atividades desenvolvidas no âmbito da Semana Europeia da Programação, certamente, permitirão fazer com que a visibilidade da programação aumente, indo ao encontro da perspetiva dos sete ministros da educação europeus que tornaram obrigatória a programação nos seus currículos escolares, designadamente na Bulgária, Chipre, Grécia, Polónia, Portugal, Reino Unido e República Checa.

Referir que, a obrigatoriedade é particularmente oportuna, no momento em que diversos relatórios mostram que a Europa poderá ter em breve um milhão de postos de trabalho por preencher, devido ao facto dos europeus não terem as competências digitais necessárias.

Porquê dar tanta importância à programação?
Toda e qualquer interação entre os seres humanos e os computadores é regida por um código, quer se crie uma aplicação Web, se sigam direções por GPS quando se conduz ou se pretenda revolucionar as interações sociais.
A programação está em todo o lado e é fundamental para a compreensão de um mundo híper conectado.

É consensual e reconhecido que as competências básicas em matéria de programação serão necessárias para muitos empregos no futuro próximo. Mais de 90 % das profissões exigem atualmente algumas competências em tecnologias da informação e das comunicações (TIC), e os profissionais das TIC são tidos como um pilar fundamental da força de trabalho moderna em todos os setores da economia europeia, assistindo-se a um crescimento anual da procura de cerca de 3%, que não é acompanhado por igual número de licenciados em informática.

Tornar a informática mais atraente é um dos objetivos da iniciativa europeia «Grande Coligação para a Criação de Empregos na Área Digital», uma parceria multilateral europeia que visa facilitar a cooperação entre empresas, estabelecimentos de ensino e intervenientes públicos e privados com vista a combater o desfasamento entre a oferta de competências digitais e a procura do mercado de trabalho europeu, inclusivamente através da modernização do ensino.

Nesta sequência, no passado dia 14 de outubro, foi lançada uma importante plataforma de programação, destinada a promover a aprendizagem e o ensino da programação, dando vida à visão da Grande Coligação para a Criação de Competências e Emprego na Área Digital. Neelie Kroes, Vice-Presidente da Comissão Europeia e responsável pela Agenda Digital, referiu que “a programação é a nova literacia, um conjunto de competências essenciais tanto para as raparigas como os rapazes. Não é uma aula aborrecida de ciência informática, é uma forma de tornar todos os temas mais interessantes. Adira a um evento próximo de si e reforce o seu conhecimento do mundo digital”.

Referir que são alguns os eventos que decorrem bem perto de si, na área de intervenção do Cied de Barcelos (NUT do Cávado e do Ave), no âmbito desta Semana Europeia da Programação - consulte http://events.codeweek.eu/.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.