Correio do Minho

Braga, sábado

- +

Reviravoltas da vida

Viagem a Viena

Reviravoltas da vida

Escreve quem sabe

2020-05-03 às 06h00

Joana Silva Joana Silva

Ultimamente somos acervados com a expressão,“a vida dá muitas reviravoltas”. Reviravoltas que se traduzem em fases menos boas, onde faltam forças e já não há vontade de fazer absolutamente nada. Nas “reviravoltas da vida”, sejam elas em que domínio for, profissional, de relacionamento emocional, familiar, passa-se por diversas fases. “Altos e baixos” emocionais, em que muitas vezes o coração desassossega com as preocupações. Medos e inseguranças face ao que o futuro que reserva que muitas vezes, culminam em noites mal dormidas. Pensamentos que fazem perder o apetite ou pelo contrário, uma ansiedade que é mascarada na compulsão alimentar, sobretudo durante o período noturno.

Porque é durante a noite que se tende a pensar mais nas preocupações. Estas são algumas das consequências dos efeitos colaterais das emoções na nossa saúde física. Mas o negativismo não pode ser opção. Nas “reviravoltas da vida” é importante focar, mais do que nunca, nos sonhos, porque o “querer é poder”. A “vontade de”, tem como matriz uma força magnética. Força essa, impulsionadora que mesmo diante das dificuldades a esperança por mais diminuta que seja, move montanhas. Uma fé inabalável em si e para si, que empurra para a mudança , para novos caminhos. Mas não deveríamos ter todos/as esta característica da personalidade? Todos/as sem exceção temos aptidão para desenvolver esta habilidade emocional. Acontece que o ambiente em que a pessoa está inserida é que dita as posteriores circunstâncias. Quem nunca escutou ou viu, “Oh não te metas nisso! Tu não consegues!” e essa mesma pessoa, mais cedo ou mais tarde consegue provar que afinal, o destino é outro das expectativas iniciais. Pois bem, está intimamente relacionado com a resiliência perante os obstáculos e à forma como acredita no seu próprio potencial, mesmo que outras vozes digam o contrário. É como se as vozes contraditórias estimulassem positivamente no sentido em que, “Eu vou provar que sim. Contra tudo e contra todos/as”.

O truque é apenas um : relativizar opiniões. Não obstante, há quem projete medos e inseguranças em forma de conselho de forma (in)consciente. Por exemplo, imagine que quer trabalhar uma outra dinâmica na sua empresa. Está confiante e pretende avançar. Em conversa com um seu familiar ou amigo, este quase que o faz desistir da ideia, destacando e evidenciando todas as probabilidades iminentes de insucesso. Ora importa referir que frequentemente, tendemos a aconselharmo-nos com pessoas que tem uma visão mais direcionada para o insucesso e a problematização de situações talvez pelo fracasso dos próprios projetos de vida ao logo da sua experiência, e como tal, projetam esses medos e inseguranças para outras pessoas.

O sucesso de um projeto não se deve em exclusivo à conjetura social mas sim às características de uma personalidade forte e determinada. Alguém que tem como pressuposto o acreditar nas suas potencialidades e limites de forma irredutível e que a sua conduta de ação passa primeiro por mostrar a si próprio que é capaz e depois posteriormente aos outros. E o caminho deve ser este e não o inverso. Porque de “terceiras pessoas” não se pode esperar elogios , porque há sempre algo a criticar e como consequência facilmente se perde o entusiasmo. A opinião e dedução de terceiros numa vertente mais negativa, nunca foi assertiva, concisa e sinonimo de felicidade e de sucesso. As pessoas pro-ativas, tem por norma um plano A, B e C, pois acreditam que se um caminho estiver interdito, dá pelo outro. Reflita, quantas profissões não são rotuladas de “saída para o desemprego” e no entanto, há profissionais que numa primeira abordagem no mercado se destacam e tem sucesso imediato. Isto porque não é uma profissão que dita sucesso, são as capacidades de agir da própria pessoa no mercado.

A criatividade de gerir as dificuldades, a forma como se adapta às mudanças. Se passa no presente momento por uma situação de indefinição, uma primeira sugestão é aconselhar-se com outros profissionais da mesma área ou de áreas diferentes, porque por vezes, outras opiniões e outras formas de ver determinado panorama dão orientações preciosas para outros caminhos. Escute o bom e o mau e o truque passa por absorver o máximo de informação e numa segunda parte comparar todos os ítens. Por mais que as dificuldades possam ser muitas no momento, nunca desista do que lutou, do que conseguiu e dos seus sonhos. O querer, a vontade de agir, as atitudes, em todos os campos da vida seja em que área for é o segredo da felicidade.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

28 Junho 2020

Verbos traiçoeiros

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho