Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Remodelar, Converter e Transformar

"Eu não preciso de nada"

Escreve quem sabe

2018-01-16 às 06h00

Analisa Candeias

Transformar o mundo. Todos os dias. Dia após dia. Ter envolvência no que nos rodeia e, no fundo, importarmo-nos. Todos os dias. Dia após dia. Olharmos à nossa volta e sermos mais ativos, mais dinâmicos e mais coerentes. E olharmos para nós sermos mais coerentes connosco. E fiéis. Será isto possível?
Em 1899 (não, não me enganei na data) foi criada uma organização internacional de enfermeiras, atualmente designada de Internacional Council of Nurses (ICN) ou em português, Conselho Internacional de Enfermeiros. Entre diferentes objetivos de ação, este Conselho representa e entende dar voz à Enfermagem internacional, promovendo a saúde para todos e influenciar a forma como esta é construída. A nossa Ordem dos Enfermeiros faz parte deste Conselho, pelo que os portugueses também apresentam uma opinião ativa nas questões do ICN.
Em 2017, o ICN decidiu que era altura de adotar um recurso que pudesse ajudar todos os enfermeiros a ter voz e a serem líderes que fazem a diferença na sociedade. Este recurso, denominado de Nurses: a Voice to Lead (Enfermeiros: Uma Voz para Liderar), tem como objetivos principais celebrar, encorajar e inspirar ação para criar um mundo mais saudável coisa pouca, não é? Porém, estes objetivos são alcançados através de uma série de atividades que pertencem a um conjunto alargado, o Desenvolvimento de Metas Sustentáveis, desenvolvido pelas Nações Unidas em 2015.

Neste Desenvolvimento enquadram-se dezassete propósitos que, parecendo muito ambiciosos, podem fazer a diferença por esse mundo fora. São eles:
1. Não à Pobreza
2. Zero Fome
3. Boa Saúde e Bem-estar
4. Educação de Qualidade
5. Igualdade de Género
6. Água Limpa e Saneamento
7. Energia Limpa e Acessível
8. Trabalho Decente e Crescimento Económico
9. Indústria, Inovação e Infraestruturas
10. Redução de Desigualdades
11. Cidades e Comunidades Sustentáveis
12. Consumo Responsável e Produção
13. Ação Climática
14. Vida Dentro de Água
15. Vida na Terra
16. Paz, Justiça e Instituições Fortes
17. Parceiros para as Metas

Estas metas justificam os meios de ação. Cabe a cada enfermeiro, por esse mundo fora, desenvolver pequenas ações no seu dia-a-dia, pessoal ou profissional, que façam uma pequena grande diferença na sociedade. Aliás, este texto pode perfeitamente integrar-se no alcance destas metas, como por exemplo o 3 (Boa Saúde e Bem-estar), o 4 (Educação de Qualidade) ou o 17 (Parceiros para as Metas obrigada ao Correio do Minho por o poder considerar meu parceiro ?). Não importa bem o quê. Importam sim que haja movimento, dinâmica e energia na Enfermagem internacional. Para se renovar a humanidade. Dia após dia.
E o que é que a Enfermagem anda a fazer por esse mundo fora para ser mais líder e ter mais voz? Muitas coisas. Por exemplo, andamos envolvidos nas questões da guerra na Síria, tanto para dar apoio às populações a nível de saúde, como ao nível do apoio aos profissionais de saúde; na Austrália, existem enfermeiros envolvidos em campos de férias para crianças com diabetes, cuja ação passa pela educação para a saúde e para a diminuição do estigma; ainda em relação ao estigma na doença, na Zâmbia os enfermeiros combatem a desigualdade de género e promovem as condições decentes de trabalho com pessoas que apresentem HIV; nos Estados Unidos da América, os enfermeiros têm conseguido estabelecer alianças entre os diferentes stakeholders da Enfermagem para promover o ensino da mesma.

E continua os enfermeiros não param: na Índia, a Enfermagem anda ocupada a difundir conhecimento entre os profissionais de saúde para um melhor tratamento e prevenção de doenças infetocontagiosas; relativamente à inovação, os enfermeiros dinamarqueses vulgarizam a administração de quimioterapia no do- micílio dos doentes oncológicos, para um maior conforto e bem-estar dos mesmos; e no Sri Lanka andam a promover a investigação em Enfermagem. Muito trabalho. Muita visão. Ainda mais trabalho.
Porém, o importante é a envolvência dos colegas. E das pessoas que os rodeiam utentes, doentes, familiares, colaboradores, administradores. Todos podem contribuir e transformar o mundo. Dar voz aos enfermeiros não passa apenas por nós, mas sim por todos aqueles que nos circundam. Que querem uma saúde mais construída e diferente. Uma saúde para todos. E por todos.
Nota: para mais informação, poderá consultar o site https://www.icnvoicetolead.com/

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

29 Junho 2018

Gente sem pó

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.