Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +

Reforçar a melhoria da educação, para aumentar o emprego na Europa

Cisnes negros

Escreve quem sabe

2015-03-22 às 06h00

Manuel Barros Manuel Barros

A APPEJ - Associação Portuguesa do Parlamento Europeu dos Jovens (APPEJ) é uma organização sem fins lucrativos, apartidária, e tolerante a todos os credos, filosofias ou orientações políticas, que possibilita a participação de 20.000 jovens por ano, entre os 16 e os 25 anos, provenientes de mais de 39 países europeus, em debates interculturais num contexto de educação não formal.
Uma associação juvenil que, desde 1990, promove a construção de uma dimensão europeia na educação, através da organização de ações de consolidação de uma Europa de cidadania universal. Cidadania onde os jovens assumem um papel ativo, na construção de uma nova identidade europeia, assumindo a responsabilidade de encontrar as propostas de resolução para os seus próprios problemas.
Desafios que as novas gerações enfrentam nas mais diversas dimensões, com especial destaque para a promoção de um sistema educativo, capaz de responder às necessidades dos cidadãos europeus. Um sistema que fomente o desenvolvimento de um sentido partilhado da identidade europeia, o desenvolvimento de uma consciência europeia entre os jovens, e a sua participação em dinâmicas de promoção da integração europeia.
Nesta linha de ação, a APPEJ realizou no passado dia 15 de março, no Paço dos Duques de Bragança, o Fórum Inter - Regional do Parlamento Europeu, uma simulação do plenário do Parlamento Europeu, onde 48 jovens do ensino secundário de diversas regiões nacionais e europeias debateram um tema de grande atualidade, “A consciência europeia: Motor para o desenvolvimento”.
Um  tema de grande oportunidade, no momento em que está a ser implementada a estratégia da União Europeia para o crescimento, inteligente, sustentável e inclusivo, “Europa 2020”. Uma constelação de programas marcados pela ambição de atingir cinco objetivos, até ao final de 2020, que dizem respeito ao emprego, à investigação e desenvolvimento, ao clima/energia, à educação e à inclusão social e redução da pobreza, ingredientes estruturantes de um novo modelo de desenvolvimento.
Modelo de desenvolvimento, entendido na perspetiva dos jovens deputados, como resultado de uma consciência europeia, que deverá assentar na promoção da dimensão europeia da educação, um propósito que se enquadra na iniciativa “Juventude em Movimento”, composta por um conjunto de medidas sobre o ensino e o emprego dirigidas aos jovens europeus.
Esta iniciativa, Juventude em Movimento, tem como objetivo a melhoria do nível de ensino e da empregabilidade dos jovens, redução do elevado desemprego juvenil e aumentar a taxa de emprego dos jovens para uma taxa de 75% para a população em idade ativa (20 - 64 anos). Fazendo com que a educação e a formação se identifiquem com as verdadeiras necessidades dos jovens, no sentido de incentivar os países da UE a tomar medidas para simplificar a transição do ensino para o mercado de trabalho.
Respostas que pressupõem a identificação e estimulo de iniciativas ao nível nacional e europeu, através de ações específicas destinadas aos jovens, sem pôr em causa a coesão geracional das comunidades, as novas gerações devem ser objeto de intervenção prioritária.
Na convicção de que a Europa, não pode aspirar a uma a uma consciência europeia renovada, enquanto existirem aproximadamente 5 milhões e meio de jovens desempregados, ou seja, um em cada cinco jovens com menos de 25 anos, quer trabalhar mas não consegue emprego. Em que a taxa de desemprego juvenil é superior a 20%, ou seja, o dobro da taxa relativa ao conjunto da população ativa e perto do triplo da taxa relativa às pessoas com mais de 25 anos. Sete milhões e meio de pessoas com idades compreendidas entre os 15 e 24 anos não têm, atualmente emprego, nem estão a seguir qualquer tipo de ensino ou formação.
Neste contexto, a estratégia Europa 2020 integra três iniciativas emblemáticas nos domínios do emprego, dos assuntos sociais e da inclusão. Para alem da iniciativa ‘Juventude em movimento’, uma iniciativa para aumentar as oportunidades de acesso dos jovens ao mercado de trabalho, ajudando estudantes e estagiários a ganhar experiência noutros países, para melhorar a qualidade e a capacidade de atracção da oferta em matéria de educação e de formação.
A agenda para novas competências e empregos é, outra iniciativa que prevê um novo impulso às reformas do mercado de trabalho, para ajudar as pessoas a adquirir as competências necessárias para os empregos do futuro, criar novos postos de trabalho prevendo ainda, a revisão da legislação europeia em matéria de emprego.
Por último, a plataforma europeia contra a pobreza e a exclusão social uma iniciativa que visa intensificar os esforços para atingir o objectivo de tirar de uma situação de pobreza e exclusão pelo menos vinte milhões de pessoas até 2020.
Um Fórum Inter - Regional do Parlamento Europeu dos jovens de grande qualidade, que debateu refletiu e abordou todas estas iniciativas de forma crítica, com enfoque no reforço na melhoria da educação, para o aumento do emprego e para a redução da pobreza, como condições fundamentais para a construção de uma nova consciência europeia, o motor para a próxima etapa de desenvolvimento da Europa.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

28 Fevereiro 2020

A censura do silêncio

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.