Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Reciclagem volta a aumentar em 2015 mas ainda faltam 8%...

O que nos distingue

Ideias

2016-01-20 às 06h00

Pedro Machado

Depois de fazer um balanço ambiental do ano 2015, vou agora fazer um balanço, em termos de reciclagem, na nossa região, nomeadamente na área de abrangência da Braval.
Durante o ano de 2015 a Braval recolheu 14.741 toneladas de resíduos recicláveis nos ecopontos existentes na área de abrangência da Braval (Amares, Braga, Póvoa de Lanhoso, Terras de Bouro, Vieira do Minho e Vila Verde), mais 122 toneladas do que em 2014, quando foram recolhidas 14.619 toneladas.

Este aumento de 0,8%, ainda que não seja muito expressivo, vem confirmar a tendência de subida da recolha seletiva, até porque a quantidade de vidro e papel/cartão aumentou 1,9%, tendo sido sentida uma descida de 0,4% nas embalagens, muito devido à introdução da fiscalidade verde, uma medida que cada vez mais se confirma boa do ponto de vista ambiental, mas que provocou uma descida abrupta na utilização de sacos de plástico.

O ano de 2012 foi o único ano em que os resíduos recolhidos seletivamente, na área da Braval, diminuíram face ao ano anterior. Apesar de terem vindo a aumentar nos últimos dois anos, ainda não se atingiu a quantidade máxima recolhida em 2011: 15.154 toneladas. Mais uma vez se confirma a necessidade de legislar sobre a propriedade dos resíduos na via pública.
A Braval tem de atingir uma meta de 25% de reciclagem, até 2020, estando em 2015 em cerca de 17%, temos de reciclar muito mais!

A quantidade de resíduos provenientes da recolha indiferenciada tem vindo a estabilizar. Foram recebidas 87.650 toneladas, mais 406 toneladas do que em 2014, um aumento de 0,5%.
A recolha de óleos alimentares usados voltou a aumentar, foram recolhidos 74.074 litros, mais 3.916 litros do que em 2014. Desde o máximo atingido em 2011, quando foram recolhidos 95.000 litros de óleos alimentares usados, a quantidade recolhida foi diminuindo até estabilizar em 2014, invertendo esta tendência em 2015.

Em termos de Resíduos Elétricos e Eletrónicos, depois da queda dos últimos anos, a quantidade recolhida deste tipo de resíduos voltou a aumentar. Foram recolhidas 203 toneladas, mais 29 toneladas do que em 2014, o que significou um aumento de 16,7%. Apesar deste aumento, o desvio ilegal deste tipo de resíduos continua a ocorrer. Esta proibição e infração deverão estar previstas nos regulamentos municipais de resíduos ou, então, pela legislação nacional, de forma a desincentivar este tipo de comportamentos. Os resíduos, quando são colocados na via pública pelos munícipes, é na perspetiva do seu tratamento/valorização.

Relativamente à receção de pneus usados, continuam a aumentar tendo sido recebidas 1939 toneladas, mais 53 do que em 2014, um aumento de 2,8%.
Globalmente, 2015 foi um ano positivo, em termos de reciclagem.
Em meu nome pessoal e municípios acionistas da Braval gostaria de felicitar a população que tem contribuído para estes resultados, aqueles que separam os seus resíduos, colocando-os nos ecopontos, e apelo a quem ainda não aderiu à separação de resíduos, que o passem a fazer, pois as metas estabelecidas pelo PERSU 2020 (Plano Estratégico de Resíduos Sólidos), são bastante ambiciosas e, caso não sejam cumpridas, como ainda é o caso da Braval, obrigarão à punição dos sistemas de gestão de resíduos, através do agravamento da taxa de gestão de resíduos (TGR), o que se reflete num aumento da tarifa de resíduos.
Ajude-nos, ajudando-se!

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

19 Dezembro 2018

Parabéns ao IPCA

18 Dezembro 2018

O seu a seu dono!

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.