Correio do Minho

Braga, sábado

- +

Projetar Braga: Do passado para o futuro

Norte sobe no Ranking Regional de Inovação

Escreve quem sabe

2015-10-13 às 06h00

Margarida Pereira Margarida Pereira

Na última sexta-feira realizou-se mais uma Assembleia Municipal em Braga. Apesar dos diversos assuntos em discussão foram dois os temas que mais se destacaram, e é sobre eles que resolvemos reflectir hoje.
Começamos por destacar a unanimidade conseguida para ceder o Convento de S. Francisco à Universidade do Minho, com o propósito de albergar ali a Unidade de Arqueologia.

O Convento de São Francisco situa-se na freguesia de Real, junto à igreja de S. Francisco e à Capela de S. Frutuoso, esta última classificada como monumento nacional. Este Convento já foi alvo de várias reconstruções, sendo a última intervenção notoriamente do século XVIII.
A decisão de ceder o Convento à Unidade de Arqueologia da U.M. foi, na nossa opinião, uma boa opção, pois um edifício com tanto valor histórico e que já viu o seu futuro ser adiado por várias vezes, merece não ficar esquecido e ver aprovado um projeto que abra as suas portas ao público.

Para este antigo convento o futuro, que passa pela sua requalificação, contém um espaço para a Unidade de Arqueologia com a finalidade de realizar atividade pedagógicas e uma área museológica aberta ao público. Não temos qualquer dúvida das capacidades que Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho possui para cuidar do edifício e levar este projeto a bom porto.

No entanto, esperamos que o convento de São Francisco seja, realmente, um bom exemplo de requalificação e que, tal como consta no projeto aprovado por unanimidade, as suas portas se mantenham abertas ao público e com fácil acesso. Foram já várias as situações em que a Unidade de Arqueologia teve ao seu cuidado várias peças da história de Braga para investigar ou documentar e que, no final, por diversos motivos as escondeu, não as deixando visíveis ao público.

Outro dos principais assuntos em discussão nesta Assembleia Municipal, e que não reuniu a unanimidade como o anterior, foi a doação, por parte da Câmara Municipal de Braga ao Sporting Club de Braga dos terrenos adjacentes ao Estádio Municipal.
Tal como o Convento de São Francisco, que já viu o seu futuro passar por uma Pousada da Juventude, também estes terrenos já tiveram como destino a criação do Parque Norte. Contudo ambos foram actualmente alvo de novas decisões.

No que a estes terrenos diz respeito, a CMB optou por doa-los ao SCB, o que não sendo a decisão ideal, porque a cidade precisa de espaços de lazer partilhados por todos, é sempre melhor do que ter os terrenos em estado selvagem, sem usufruto nenhum. Por proposta dos eleitos da CDU, ficamos a saber que o circuito de manutenção, que atravessará os terrenos deste parque desportivo, estará livremente fruível por todos os cidadãos.

Outra sugestão que está em cima da mesa é a possibilidade de doar o “monstro” de betão que deveria ser a piscina olímpica. Esta parece-nos uma excelente proposta, uma vez que aquela mancha cinzenta está parada no tempo e precisava que alguém tire algum proveito do elevado investimento feito naquelas paredes escuras. As vozes discordantes, que não apresentam soluções realistas, são aquelas que outrora prometeram um Parque Verde nas Sete Fontes, ao mesmo tempo que tinham um PDM que previa a sua destruição para construção de habitações de alta densidade populacional, com prédios de muitos andares.

Não sendo este um projeto ideal, parece-nos, a nós, JovemCoop, uma boa opção para o reaproveitamento do espaço. No entanto, qualquer que seja o destino daqueles terrenos é fundamental, na nossa opinião, realizar escavações arqueológicas antes de qualquer outra intervenção. Confirmou-se, com a construção do estádio, que existiu naquele local um castro e por isso, qualquer marca de história que tenha resistido às intervenções já realizadas naquele local, deve ser preservada e incluída nos projetos. Ao contrário do que Braga tem vindo a fazer, é preciso preservar e mostrar, para que as pessoas possam vivenciar, experimentar e aprender. Só assim faremos da cultura uma nobre arte da educação.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

28 Novembro 2020

Ilusão verde

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho