Correio do Minho

Braga,

- +

Plano de Recuperação de Aprendizagens

Como ativar territórios e criar novos destinos

Plano de Recuperação de Aprendizagens

Voz às Escolas

2021-06-07 às 06h00

Jorge Saleiro Jorge Saleiro

No dia 1 de junho, o Governo apresentou o Plano de Recuperação de Aprendizagens, 21|23, Escola+. Este documento era aguardado há algum tempo pelas escolas, uma vez que orientará o trabalho a realizar para que se mitiguem os impactos negativos da pandemia nas aprendizagens dos alunos. Esta apresentação, para além de enquadrar a sua génese, referiu os seus três eixos estruturais, definiu princípios, recomendações, objetivos estratégicos, domínios e ações específicas.
O enquadramento do trabalho de preparação deste Plano faz algumas referências que julgamos pertinentes e merecidas. Reconhece-se o elevado sentido de missão dos professores e outros profissionais da Educação durante todo o período em que foi necessário dar resposta à crise pandémica. Refere-se, também, que a rede pública de educação e ensino está hoje muito mais bem preparada para enfrentar os desafios que a pandemia da COVID-19 nos colocou.

De acordo com esta apresentação, para além da criação de um grupo de trabalho, na construção deste Plano, o Governo auscultou alunos, professores, diretores, peritos, ONG e representantes dos vários setores da educação. Deve reconhecer-se que, de facto, o Governo, mais do que auscultar, parece ter ouvido aqueles que convocou a participarem na criação deste Plano.
Talvez por isso mesmo, a apresentação do Plano lança uma mensagem, que se espera sentida e venha a tornar-se real, de que este Plano se centra na confiança nas escolas e profissionais, alargando a sua autonomia e poder de decisão. Aplaude-se esta visão que parece ser confirmada por algumas das ações específicas anunciadas, mas a história do uso da palavra autonomia em relação às escolas não nos tranquiliza.

Os objetivos estratégicos definidos para serem alcançados através da implementação do Plano 21|23 Escola+ são:
i) A recuperação das competências mais afetadas;
ii) A diversificação das estratégias de ensino;
iii) O investimento no bem-estar social e emocional;
iv) A confiança no sistema educativo;
v) O envolvimento de toda a comunidade educativa;
vi) A capacitação, através do reforço de recursos e meios;
vii) A monitorização, através da avaliação do impacto e eficiência das medidas.

Para atingir estes objetivos, o Plano 21|23 Escola+ estrutura-se em três eixos de atuação (1-ensinar e aprender; 2- apoiar as comunidades educativas; 3- conhecer e avaliar), que juntam diferentes domínios de atuação, que se desenvolvem através de ações específicas.
Com particular e compreensível ênfase no eixo 1- ensinar e aprender, o Plano prevê um conjunto de medidas para que, de forma articulada e aplicada à medida de cada escola, durante o período de dois anos, favoreça a recuperação das aprendizagens e o sucesso dos alunos, combata as desigualdades e favoreça a inclusão e promova, junto de todos, o desenvolvimento da Cidadania.

Trata-se de um Plano ambicioso que prevê a participação e envolvimento de toda a comunidade. Não podia ser de outra forma. Prevê medidas, recursos e a sua avaliação. Espera-se que seja regulado e financiado atempadamente para que tenha o impacto previsto. O próximo ano letivo tem de ser preparado com as medidas e recursos definidos.

Assinala-se que se anteveem anos de grande exigência e desafios para as escolas públicas, envolvidas que estão no desenvolvimento de, pelo menos, um outro Plano, o de Transição Digital, e que requere, também, aos profissionais envolvidos, um assinalável esforço e empenho.
Por fim, resta fazer votos de que a autonomia conferida no âmbito deste Plano seja factual, que dê os frutos desejados e que deixe de ser uma medida conjuntural, limitada à execução de um Plano e ao seu prazo. Deseja-se que, em resultado da aplicação deste Plano, a autonomia das escolas venha a ser cada vez mais reforçada e se torne regra e não exceção. As escolas já fizeram por merecer essa confiança e, finalmente e felizmente, a tutela parece começar a reconhecê-lo.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

04 Junho 2021

Escolas com História

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho