Correio do Minho

Braga, terça-feira

Plano de Internacionalização

Por mais cultura do treino e treino baseado na ciência

Voz às Escolas

2016-09-26 às 06h00

Jorge Saleiro

Estamos no arranque de mais um ano letivo. As escolas e agrupamentos, mais uma vez, executarão os seus planos anuais e plurianuais de atividades, conferindo desta forma a sua dinâmica de trabalho específica ao desenrolar do ano letivo e mostrando, também desta forma, o perfil de escola que se vai construindo.
No Agrupamento de Escolas de Barcelos também será assim. Continuar-se-á a realizar e a fazer evoluir projetos que se foram solidificando nos últimos anos. O Arboreto, as revistas anuais, a Rede de Pequenos Cientistas, o Clube Europeu, os apoios por nível de desempenho são, apenas, alguns dos projetos que se vão afirmando ano após ano.

Uma das novidades será a implementação do Plano Nacional de Promoção do Sucesso Escolar. No entanto, esta novidade será alicerçada, em grande parte, em boas práticas já em vigor no nosso agrupamento. O plano, que foi apresentado pelo agrupamento, foi muito positivamente avaliado pela equipa de missão que apreciou todas as candidaturas, atribuindo a este plano o máximo de recursos possível, ou seja, três professores para o ajudar a implementar. Este facto, mais do que o orgulho pelo que foi atingido, confere uma extrema responsabilidade relativamente ao que falta alcançar. Assim, este será um ano de ainda maior trabalho e dedicação para melhorar o sucesso dos nossos alunos.

Mas a ambição pelo sucesso não se esgota nos resultados expressos em pauta. O Agrupamento continuará a oferecer diversas possibilidades para que os nossos alunos enriqueçam a sua vida escolar.
Hoje falaremos do plano de internacionalização do agrupamento que, entre outras formas, se realiza através dos intercâmbios escolares europeus. Desde que foi criado e sob a coordenação do professor Fernando Carvalho, o Clube Europeu do Agrupamento de Escolas de Barcelos e os projetos por si abraçados têm sido um fator significativo para a concretização do aprofundamento da cidadania europeia, objetivo que está bem claro no Projeto Educativo.

Mas, como gostamos que aconteça, os sucessos passados servem apenas para nos apoiarmos para o passo seguinte. Inserido nos projetos Erasmus+, o Agrupamento de Escolas de Barcelos, nos próximos dois anos, estará envolvido em 10 novos intercâmbios, para além dos dois que estão ainda em desenvolvimento, dos intercâmbios fora do âmbito do Erasmus+, de dois projetos eTwinning, de iniciar atividade como Eurodesk e de diversas atividades internas de divulgação europeia.

Com estes dez novos projetos, o Agrupamento de Escolas de Barcelos estabelecerá parcerias e realizará mobilidades de alunos, professores e não docentes, com dezassete países europeus que correspondem a quarenta e seis cidades e escolas diferentes, a que acrescerão parcerias com autarquias, universidades e outras instituições empenhadas na construção europeia.
Os temas tratados serão, necessariamente, diversos. Trataremos de como preparar os nossos alunos para a idade adulta e para a cidadania realizando um estudo comparativo da autonomia dos curricula e da comunicação, em países tão diferentes como França, Polónia, Bulgária, Holanda, Grécia e Eslovénia (para além de Portugal, claro).

Com outras escolas da Alemanha, Polónia, Itália e França, trataremos do problema da inclusão e de como a promover nas nossas escolas. Na República Checa, Roménia, Itália, Espanha, Bulgária e Turquia iremos abordar como uma pedagogia criativa favorece carreiras de sucesso. Com escolas da Lituânia, Turquia, Itália e Bulgária, trabalharemos a influência das Belas Artes para o desenvolvimento de melhores culturas e ambientes escolares.

Com a Grécia, a Hungria, Polónia, Roménia, Turquia, Itália e Letónia, iremos trilhar os caminhos da Geomitologia para promover o meio ambiente e a sustentabilidade. Com escolas da Grécia, Turquia, Hungria, Itália e Espanha, procuraremos meios de desenvolver o empoderamento dos alunos quanto às suas capacidades de aprendizagem. Com a Grécia, Estónia, Espanha, Turquia e Lituânia, estudaremos a formas como a Arte, o Desporto e a tecnologia vinculam os alunos à sua escola.

A parceria com escolas de Espanha, Polónia e Grécia irá trabalhar o desenvolvimento de hábitos de vida saudável através da escola, para melhor enfrentar o futuro. Com a Itália, Roménia, Turquia e Bulgária, trataremos formas de evitar a discriminação, o bullying e o racismo em ambiente escolar. Finalmente, com a Itália e a Polónia, envolvendo autarquias, universidades e instituições europeias, iremos abordar como o ensino das e pelas artes poderá contribuir para a redução do abandono escolar.

Como se pode constatar, o plano de trabalho é bem diversificado e exigente. Os alunos e profissionais envolvidos nestes projetos, para além da oportunidade de conhecer novos países, pessoas e culturas, terão uma mais-valia evidente para o seu curriculum vitae. Principalmente no caso dos alunos, estas são oportunidades que poderão fazer a diferença quando vierem a ser avaliados para fins escolares ou profissionais.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.