Correio do Minho

Braga, sábado

- +

Os eventos e a história

Norte sobe no Ranking Regional de Inovação

Escreve quem sabe

2014-09-16 às 06h00

Margarida Pereira Margarida Pereira

No passado sábado, dia 13, Braga viveu a terceira edição da Noite Branca. Numa festa que pintou a cidade de uma só cor, foram inúmeros os pontos de animação pulverizados por todo o centro histórico. Desde desfiles de noivas, passando por danças aéreas, até aos já habituais concertos na Praça do Município, existiu animação para todos os gostos e para todas as idades.

Para nós a terceira edição da Noite Branca brilhou, tal como as anteriores, pelo acesso mais facilitado à CULTURA. Foi um enorme gosto ver museus, como o Nogueira da Silva, terem uma grande procura, quer pela oferta cultural que apresentaram durante todo o evento, quer por despertarem a curiosidade do público que desconhece os museus da sua cidade e aproveita a oportunidade graciosa para colmatar essa carência no conhecimento.

É verdade que esta edição teve inúmeros pontos positivos, no que respeita à cultura, mas, como em todos os eventos, há sempre pontos que devem ser melhorados. Na nossa opinião, a Rua de Janes, sendo uma rua central na cidade merecia uma melhor decoração do que as “cuecas de personalidades incontornáveis da história da cidade”. Para nós esta foi uma forma infeliz e, em alguns casos, mesmo enganosa e extrema, de satirizar personalidades que, de alguma forma, marcaram a cidade.

A atividade “Bragas num pedestal” foi para nós, nada mais do que uma “instalação” artística sem arte, pois misturou personalidades com personagens e os textos descritivos continham uma fundamentação paupérrima e a carecer de veracidade. Para quem estava habituado a passar na Rua do Janes e a deixar-se surpreender com as instalações artísticas sempre criativas, este ano ficou, por certo, desapontado.

Apesar desta atividade menos vitoriosa, o importante é que a Noite Branca de Braga é um chamariz cultural para quem quer conhecer a cidade e, por esse motivo, deve sempre evoluir e melhorar dentro dos possíveis. Um outro evento começa já hoje, e esperemos que deixe, também, a sua marca na cultura bracarense. Falamos a Semana Europeia da Mobilidade e também do Dia Europeu Sem Carros.

Começa hoje um ciclo de atividades que pretende sensibilizar os bracarenses para a questão mobilidade. Entre debates, caminhadas e passeios de bicicleta, destacamos a segunda edição do bici-paper organizado pela JovemCoop, com o apoio da Câmara Municipal e da GobyBike.

O bici-paper consiste num percurso de bicicleta no qual o participante passará por alguns dos pontos principais do centro histórico, como o Museu D. Diogo de Sousa, a Avenida Central, o Jardim de Santa Bárbara, entre muitos outros. Em cada local os participantes deverão realizar uma tarefa e só depois de a concluírem é que receberão o nome do próximo local a que se devem dirigir.

Esta é uma atividade para todas as idades, onde familiares e amigos podem, em conjunto, conhecer um pouco mais sobre a história de Bracara Augusta, valorizar o centro histórico e refletir sobre questões como a preservação do nosso património. É, ainda, um modo de chamar a atenção para a mobilidade sustentável, uma vez que a bicicleta é, cada vez mais, um meio de transporte comum por toda a Europa, que não poluí.

Esta foi a melhor forma que a JovemCoop encontrou de poder contribuir para a Semana Europeia da Mobilidade e celebrar, ainda que antecipadamente, o Dia Europeu Sem Carros, sem nunca perder de vista os nossos valores no que diz respeito à consciencialização dos bracarenses para a importância da preservação e valorização do património que Braga foi herdando ao longo dos séculos.

Para participar no bici-paper basta enviar um e-mail para info@jovemcoop.com, ATÉ DIA 17, indicando o nome completo, o número de bilhete de identidade e a data de nascimento. A participação é totalmente gratuita e poderá ser individual ou em equipas até 5 elementos.
Assim, caro leitor, convidámo-lo a que no próximo sábado dia 20, pelas 16h, deixe o carro em casa e venha ter connosco de bicicleta à Praça Municipal para que possa, por si mesmo, descobrir um pouco mais sobre esta cidade que é tão nossa. Traga um amigo também, e até sábado.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

28 Novembro 2020

Ilusão verde

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho