Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Objetivos para 2019 (e até 2030)

Winston Churchill: Nobel da Literatura

Voz às Bibliotecas

2019-01-03 às 06h00

Carla Araújo

2019 chegou e por isso manda a tradição que comece com os votos de um novo ano repleto de êxitos e sucessos.
A chegada de um ano novo traz consigo uma carga de renovação e esperança que em todos deixa uma agradável sensação de otimismo e confiança. Para a crónica de hoje resolvi voltar a um assunto que já aqui abordei anteriormente e que, do meu ponto de vista, acarreta esta simbologia de renovação e esperança de um mundo melhor. Refiro-me aos ODS, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, a saber:
ODS 1 Erradicar a pobreza,
ODS 2 Acabar com a fome,
ODS 3 Vida saudável,
ODS 4 Educação e qualidade,
ODS 5 Igualdade de género,
ODS 6 Água e saneamento,
ODS 7 Energias renováveis,
ODS 8 Trabalho digno e crescimento económico,
ODS 9 Inovação e infraestruturas,
ODS 10 Reduzir as desigualdades,
ODS 11 Cidades e comunidades sustentáveis,
ODS 12 Produção e consumo sustentáveis,
ODS 13 Combater as alterações climáticas,
ODS 14 Oceanos, mares e recursos marinhos,
ODS 15 Ecossistemas terrestres e biodiversidade,
ODS 16 Paz e justiça e
ODS 17 Parcerias para o desenvolvimento. Fruto do trabalho conjunto de governos e cidadãos de todo o mundo, a Agenda 2030 das Nações Unidas é um quadro de ação que apela ao envolvimento e cooperação de todos os cidadãos na concretização dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e nas suas 169 metas para o desenvolvimento económico, ambiental e social centradas nas PESSOAS, na PROSPERIDADE, na PAZ, nas PARCERIAS e no PLANETA.

O acesso à informação é, sem margem para dúvida, uma questão transversal para a implementação de qualquer um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, pelo que as bibliotecas podem ser parceiras dos governos no apoio a todas as áreas de desenvolvimento sustentável, nomeadamente, promovendo a alfabetização universal e literacias; colmatando lacunas no acesso à informação e auxiliando a identificar necessidades locais de informação; fornecendo uma rede de sites para programas e serviços governamentais; promovendo a inclusão digital através do desenvolvimento das competências digitais da comunidade e disponibilizando acesso às tecnologias; servindo a comunidade académica; preservando e dando acesso à cultura e ao património mundial.

Ora, como facilmente daqui se compreende, e como já o afirmei anteriormente, as Bibliotecas são, por excelência, instituições indispensáveis para o efetivo alcance de muitos desses objetivos, uma vez que o acesso democrático, generalizado e facilitado do público à informação permite às pessoas a tomada de decisões consciente e, consequentemente, permite-lhes melhorar as suas vidas.
Comunidades que têm acesso a informações relevantes, oportunas e atualizadas são, certamente, melhores posicionadas para erradicar a pobreza e a desigualdade, para proporcionar educação de qualidade e promover a saúde, a cultura, a investigação e a inovação.
Se os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável são universais, cada país e cada cidadão será responsável pelo desenvolvimento e implementação de medidas, ações e estratégias para os atingir o mais plenamente possível.
Assim, e em simbologia com os votos de ano novo, tentemos enquanto instituições e enquanto cidadãos contribuir para o efetivo alcance dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Bibliotecas

24 Janeiro 2019

Todos a Ler+

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.