Correio do Minho

Braga, sábado

O voluntariado de proximidade - O projecto “Bem - me - Quer - mais Perto”

Investir em obrigações: o que devo saber?

Correio

2010-04-16 às 06h00

Leitor

O voluntariado de proximidade é uma prática ritualizada e sucessivamente actualizada, que tem marcado a sua presença ao longo da história da humanidade, procurando, por um lado, acompanhar o progresso das próprias comunidades internacionais, nacionais e locais e, por outro, dar resposta às diferentes necessidades sentidas pelas gentes de cada época.

Hoje, parece estar tudo em crise, as estruturas estruturantes da humanidade parecem estar em apuros, emergindo a solidariedade como ética do dever, cuja uma das suas operacionalizações é manifesta pelo serviço de voluntariado, que se assume como um sítio privilegiado para o exercício da cidadania e como uma prática que se caracteriza pela gratuitidade, generosidade, disponibilidade, espírito de serviço e compromisso social.

São estes valores que presidem à construção de uma relação solidária com o próximo, e que, como diz Joaquim Garcia Roca, implica obrigatoriamente uma reciprocidade: “a acção solidária não é orientada somente para a assistência do outro, mas para o crescimento de ambos, embora as suas contribuições sejam diferentes.” A prática de voluntariado pode assumir diversas formas. O Município de Viana do Castelo concretiza-a com base nas relações de proximidade, sob a moldura de uma proposta inovadora que procura resgatar os laços de solidariedade e de parceria institucional existentes numa comunidade local, da freguesia de Santa Maria Maior.

O projecto “Bem - me - Quer - mais Perto” promovido pela Câmara Municipal de Viana do Castelo elegeu o voluntariado de proximidade como eixo prioritário de trabalho e acção, junto de beneficiários idosos. Tem vindo a desenvolver um trabalho contínuo na promoção e valorização de um Voluntariado qualificado, ministrando, para o efeito:
i) O curso Inicial de Voluntariado;
ii) o curso de Formação Específica, para os voluntários que manifestarem competências para integrar o projecto “Bem - me - Quer - mais Perto”, para que estes possam assumir em plenitude todo o seu potencial de ajuda com qualidade aos beneficiários, que solicitam ajuda junto deste projecto de intervenção social.

'Acreditando que todos nós somos resultado das inúmeras interacções e encontros que fomos estabelecendo ao longo da nossa vida, não podemos pensar uma formação de voluntários sem realçar a presença do outro, como parte da futura intervenção dos voluntários (...) é através da relação que nos realizamos e satisfazemos as nossas necessidades de afecto, de estima e auto-realização. E também é pela interacção dos indivíduos que se consolida a nossa existência e se aprende a admitir e aceitar diferentes pontos de vista e diferentes modos de ser.' (in Formação em Voluntariado, Manual do Formador, CNPV).

O voluntariado de proximidade do projecto “Bem - me - Quer - mais Perto” caracteriza-se, essencialmente, pelo tipo de relações que se estabelecem entre voluntários, beneficiários, conselheiros e as instituições que, tendo por base as mesmas referências territoriais comuns, beneficiam do apoio e ajuda para a resolução de problemas concretos que se colocam no dia-a-dia.

O factor de pertença geográfica dos voluntários, à freguesia de Santa Maria Maior, onde desenvolvem a sua acção proporcionando-lhes um melhor conhecimento das necessidades locais e do seu contexto, favorecendo ainda a criação de laços de solidariedade e de confiança mais estreitos que possam contribuir para colmatar e/ou resolver algumas dessas necessidades, no que diz respeito aos idosos dependentes e que vivem na solidão. Por isso, todos os voluntários, conselheiros e beneficiários afectos, vivem ou trabalham na zona geográfica de Santa Maria Maior.

O projecto “Bem - me - Quer - mais Perto, funciona com uma equipa permanente de coordenação e acompanhamento do projecto, no terreno. Por isso neste momento, o projecto conta com 6 beneficiários inseridos, 8 voluntários atribuídos aos beneficiários, e três conselheiros que supervisionam o trabalho dos voluntários. Tendo terminado recentemente um II curso de formação, serão muito em breve colocados no terreno novos voluntários.

O trabalho deste do Bem-Me-Quer-Mais Perto tem sido muito importante para os beneficiários conviverem com o mundo exterior; a título de exemplo, cito as palavras de uma beneficiária: “ tenho muito que agradecer ao Bem-me-quer, graças aos seus voluntários eu pude ir passear a pé até ao Jardim Público, que já há mais de dez anos que não lá ia e pude ir ao Shopping Estação Viana, que há mais de dois anos que abriu e eu ainda não tinha lá ido”.

José Calçada, Mestre em Sociologia
(Conselheiro do projecto)


Deixa o teu comentário

Últimas Correio

08 Outubro 2017

A Cidade Inteligente

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.