Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

O tractor que matou o marido

Plano, Director e Municipal …

Ideias

2020-01-05 às 06h00

Joaquim da Silva Gomes Joaquim da Silva Gomes

Aurora é uma jovem minhota, natural e residente no concelho de Vila Verde. Casou em 1998, aos 22 anos, com David. Aos 24 anos teve o seu primeiro filho, o Francisco. Dois anos depois uma filha, a Margarida.
Com a ajuda dos pais e dos sogros, o jovem casal conseguiu construir uma casa, numa freguesia em Vila Verde. Com empregos precários, com baixos salários, marido e mulher tinham de trabalhar muito para pagar o empréstimo, que tinham contraído no Banco, para pagar a construção da casa, onde foram habitar, quando esta nem estava ainda concluída.
Para além do trabalho remunerado, o marido ainda ajudava a mãe enviuvada, todos os sábados, cultivando os campos agrícolas que esta tinha. O seu pai, falecido há três anos, tinha deixado um trator, que era utilizado apenas por si, pois a sua mãe não o sabia conduzir.
Do seu trabalho, ao sábado, cultivava os produtos que o ajudavam a equilibrar a alimentação da casa durante grande parte do ano.
Num sábado de março de 2009, a meio da manhã, o trator que conduzia capotou e deixou-o gravemente ferido. Ainda foi transportado ao Hospital de Braga, mas acabou por falecer duas horas depois de lá ter chegado. O David, com 35 anos de idade, foi mais uma das vítimas mortais com tratores em Portugal, nesse ano de 2009.
Nos últimos anos morre, em Portugal, mais de uma pessoa por semana, vítima de acidentes de trator. No ano que agora terminou as vítimas mortais foram 57 resultantes de acidentes de trator. Em 2018 tinham sido 55 as vítimas mortais. Estes dados transformam Portugal no terceiro país da Europa onde se verificam mais acidentes fatais com trator!
O maior número de mortes ocorreu no distrito de Bragança, seguido pelo distrito de Braga. Aqui incluem-se dois menores e quatro mulheres.
Apresento de seguida alguns exemplos de mortes que ocorreram no nosso distrito, nos últimos meses:
Em meados de novembro de 2018, um sábado, um homem morreu na sequência de um acidente com um trator, na freguesia de Sobradelo da Goma, concelho da Póvoa de Lanhoso.
Em finais de março de 2019 uma criança, com 12 anos de idade, ficou debaixo de um trator, na freguesia de Perelhal, concelho de Barcelos, e acabou por morrer.
Em julho de 2019 um homem, com 64 anos de idade, faleceu, em Vila Cova, concelho de Barcelos, vítima do capotamento do trator que conduzia.
No final de julho de 2019, na freguesia de Ferreiros, concelho da Póvoa de Lanhoso, um homem, com 58 anos de idade, morreu num acidente com um trator!
Em final de outubro de 2019 um jovem de 15 anos morreu num acidente de trator, na freguesia de Fermentões, Guimarães. Estava a trabalhar com o pai, num domingo!
Estes são apenas alguns dos muitos acidentes que ocorreram recentemente no nosso distrito, resultantes de acidentes com tratores.
Recordo ainda que entre os anos de 2013 e 2017 morreram 358 pessoas, envolvendo tratores, não incluindo aqui os acidentes graves e que posteriormente resultaram na morte dos condutores!
Algumas das causas destes acidentes prendem-se com a idade avançada dos condutores, que reduz muito a sua destreza, a pouca instrução e os terrenos minhotos, marcados pelo minifúndio e pelos declives constantes.
Em Portugal, dos cerca de 175 mil tratores registados, mais de metade tem mais de 20 anos, estando sem estruturas de proteção, nomeadamente arcos ou cabines que aumentam a segurança dos condutores.
Desde que faleceu o David, a vida de Aurora alterou-se profundamente, pois teve que assumir os destinos da família. Teve que trabalhar ainda mais para manter os seus dois filhos pequenos e pagar o empréstimo que tinha contraído para a casa. Como o acidente que vitimou o marido ocorreu fora do seu horário de trabalho e fora da sua profissão, a Aurora não teve direito a qualquer indemnização nem compensação financeira por parte do Estado ou por parte de qualquer Seguradora.
Desde 2009 que passou a ter três empregos, saindo de casa por volta das 6 da manhã e regressando a casa, muitas vezes, por volta das 23 horas. Os filhos ficavam à guarda dos avós maternos ou da avó paterna. Mas a Aurora, persistente e lutadora, prometeu aos filhos que teriam um futuro melhor que o seu. Atualmente estudam os dois numa instituição de ensino superior e têm sido distinguidos pelos valores sociais e princípios de solidariedade que revelam.
O despacho nº 1819/2019, de 21 de fevereiro de 2019, determina que os condutores de veículos agrícolas estão obrigados, a partir de fevereiro de 2021 , a ter formação específica, não bastando carta de condução ou licença.
Este despacho será suficiente para reduzir o número de mortos com tratores em Portugal e também no distrito de Braga? Basta recordar que muitos são idosos, cansados, com pouca instrução e que necessitam da produção agrícola para sobreviverem e ajudarem as suas famílias.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

30 Novembro 2020

Um Natal diferente

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho