Correio do Minho

Braga, quarta-feira

O registo social da inveja

O Estado da União

Escreve quem sabe

2018-05-20 às 06h00

Joana Silva

Vários especialistas afirmam nas suas investigações que a sociedade está doente. Observe. Quantas em dez pessoas são verdadeiramente felizes? Pouquíssimas. Talvez a razão, venha da competição não saudável em querer mais mostrar do que ser. Há quem, na verdade, não olhe a meios para atingir os seus fins e esteja predisposto/a a tudo, mesmo que necessite de lesar alguém. Uma forma de estar, mascarada pela inveja. A inveja significa desejar/cobiçar para si, aquilo que é de outra pessoa. Há vários graus, se podermos traçar uma tipologia pode dizer-se que existe a forma: leve, moderada e grave (patológica). Leve é no sentido em que, a pessoa fica incomodada e constrangida com o sucesso do outro mas tenta igualmente sem lesar conquistar esses mesmos objetivos.

A inveja moderada está no meio termo, isto é, depende da importância e relevância da situação para a pessoa. A inveja grave/patológica, tem como intuitivo roubar e destruir o alvo. Tem na sua génese o rancor, a agressividade e desejo de vingança, muitas vezes, através de mentiras e boatos que não correspondem à verdade. Está presente nos mais diversos ambientes como a relações intra-familiares, sociais e até laborais. Existe invejas entre irmãos em fruto e muito pela responsabilidade dos pais (porque uma criança é pura, molda a sua personalidade pela relação convivência familiar) que tem preferência por um irmão em detrimento do outro causando mau estar e ressentimento emocional. Quantas vezes, são ditas palavras inconscientes, Tens raiva/inveja do teu irmão..

Uma espécie de instigação de sentimentos negativos em que um acredita mesmo que não queira que é o mau da fita e o outro que assume o papel de vítima porque o pai/mãe diz que o irmão tem inveja. Uma criança não tem capacidade cognitiva para perceber o verdadeiro significado de inveja. E é por esta razão que depois de adultos muitos irmãos não convivemcresceram num ambiente doentio de emoções negativas. Também existem pais que educam filhos narcisistas em que patentam a competição , não há ninguém melhor do que tu logo todos os que se atravessam no caminho , é alvo. Nas relações de amizade, pode dizer-se que a inveja atinge os picos mais elevados. No trabalho também, e até há chefes que mesmo estando numa posição superior sentem inveja de determinado colaborador que está numa posição inferior. Assim, mantêm-se muitas vezes relações de aparências que na verdade, prejudicam a saúde física e mental. Pessoas que sentem inveja, são normalmente pessoas com baixa auto - estima e inseguras. No entanto, convém clarificar um outro aspecto. Conhece aquela situação em que uma mentira se torna uma grande verdade, quando contada por alguém que acredita muito nessa mentira e torna-a real?! Pois bem, existem pessoas que se tomam como perfeitas e as melhore.

Como tal ninguém se pode evidenciar ou destacar, pois ficam chateadas e aborrecidas pois a mesma é que devia ser alvo dos olhares de reconhecimento. Vê os outros à sua volta como inferiores e as analises que fazem das situações que sentem inveja são deturpações das (in) verdades que eles/as preferem acreditar. Imagine que se destacou num trabalho. Como o/a invejoso/a faz a leitura da situação? Apesar de ver com os seus próprios olhos que foi fruto do esforço e do trabalho do outro, ele/a prefere interpretar e analisar que lhe estão a roubar esse mesmo trabalho que deveria ser para ele. Como reconhecer um/a invejoso/a? Em primeiro se não for o primeiro dos primeiros a conseguir o que deseja, fica zangado/a (percebe-se imediatamente no rosto- ou não o encara olhos nos olhos, ou então olha com desdém e hostilidade), a sua forma de estar é pouco humilde, a forma como comunica é egocêntrica (ex. Eu fiz.), é mesquinho pois desvaloriza as conquistas dos outros (ex. Ui tanto alarido, isso não é nada de mais. O/A namorado/a não é nada bonito ( mas não tem nenhum e quer muito) .

A inveja torna-se num ataque direto quanto mais significativa for essa pessoa, isto é, se houver um grau de afinidade , o invejoso passa a dominar e sente-se à vontade para exprimir tudo o que lhe apetece sem filtro (criticas sucessivas, gesticulações agressivas) Por sua vez, quando não existe um grau de proximidade, o ataque passa pelas falinhas mansas que alternam entre o elogio desmedido e as indiretas disfarçadas de brincadeiras. Não espere nunca que um/a invejoso/a reconheça que o problema é dele. Não. Na verdade ele/a prefere projetar para os outros e justificar o insucesso nas relações interpessoais (amizades) por exemplo, afirmando que os outros é que tem inveja dele/a. Um/a invejoso/a não é feliz e desgasta-se a si próprio e desgasta os outros. Quando descoberto/a não consegue manter laços sociais com ninguém e fica sozinho/a

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.