Correio do Minho

Braga, sexta-feira

O Perfil do aluno

Dia de sol

Voz às Escolas

2018-04-04 às 06h00

Manuel Vitorino

No sítio da Direção-Geral da Educação (DGE) está disponível uma publicação com o Perfil do aluno à saída da escolaridade obrigatória, homologado pelo Despacho n.º 6478/2017, de 26 de julho.
Na elaboração do documento esteve uma equipa de 4 consultores e 11 autores, liderados por Guilherme de Oliveira Martins, tendo por base referenciais inter- nacionais sobre ensino e aprendizagem, designadamente, da UE, OCDE e UNESCO.
A educação e formação como desígnio nacional encontra neste documento um referencial para as decisões a adotar por decisores e atores educativos, com diferentes níveis de intervenção, do planeamento, passando pelo desenvolvimento curricular, à avaliação interna externa do ensino e da aprendizagem.
Naturalmente, que cabe às escolas uma centralidade no processo de intervenção e reconfiguração das suas práticas, que tenha em consideração os desafios mais vastos colocados à educação e crianças e jovens, numa sociedade marcada por múltiplas exigências, mudanças aceleradas e imprevisibilidade permanente.
Este perfil do aluno de base humanista, centrado na pessoa e na dignidade humana, na essência, converge para o seguinte: educação para todos, qualidade das aprendizagens, inclusão, contribuição para o desenvolvimento sustentável.
Ao longo deste documento são enunciados os Princípios, a Visão, os Valores, e as Áreas de Competência, que entroncam nas necessárias alterações de práticas pedagógicas e didácticas de forma a adequar a globalidade da ação educativa às finalidades do perfil de competência dos alunos(p. 31).
Constitui, por isso, a pedra de toque para o necessário desempilhamento curricular de que se fala, com a definição do núcleo de aprendizagens essenciais a cada disciplina e a implementação duma efetiva flexibilização curricular, que está na ordem do dia, e tanto divide opiniões como gera receios.
Entendo que estamos num ponto de viragem, que implica outras reconfigurações sistémicas, nomeadamente, na avaliação interna - privilegiando mais, para além dos conteúdos (dimensão cognitiva/informativa), as dimensões procedimentais (saber-fazer) e atitudinais (saber-ser/estar) -, e na avaliação externa, uma alteração profunda do pendor dos exames nacionais do ensino secundário, que continuam a privilegiar uma função seletiva, muitas das vezes desfasada de aprendizagens significativas que levem a uma apropriação efetiva de conhecimentos, capacidades e atitudes dos alunos, em conso- nância com as competências previstas no Perfil do aluno.
Nada disto é novo, mas tudo isto coloca desafios à escola, aos alunos, pais e encarregados de educação, aos docentes e demais profissionais da educação.
Vem esta reflexão a propósito do muito que as escolas já fazem no sentido de uma educação plena dos seus alunos, que nesta altura do ano, é atestada pelo fervilhar de atividades que complementam aquilo que se faz em contexto de sala de aula.
Nas linhas seguintes dou conta de três iniciativas, que revelam uma preocupação com a centralidade da pessoa, patente no projeto educativo do Agrupamento de Escolas de Monserrate, que sintetizamos no lema Educar para a vida diversidade formativa e inclusão educativa.
Estamos certo, que na conceção e na prática está em sintonia com as grandes linhas do perfil do aluno que pretendemos no final da sua passagem por este Agrupamento.

***
No âmbito do desafio lançado pelo Ministério da Educação às escolas, optamos por uma abordagem menos mediática. Juntámos os nossos delegados e subdelegados das turmas do ensino secundário para uma reflexão sobre o perfil do aluno à saída da escolaridade obrigatória.
Os próprios alunos organizaram-se num ambiente de world caffe, e a reflexão operada reflete as expetativas, motivações, necessidades e interesses dos jovens estudantes.
Dá-nos ainda, pistas a explorar no desenvolvimento dos seus percursos de educação/formação, tendo em vista a melhoria das aprendizagens, dos resultados escolares e da sua realização enquanto pessoas.

***
O Clube de Leitura da Escola Secundária de Monserrate homenageou os seus aniversariantes. O projeto O mundo ficou bem melhor, levou, entre os dias 26 de fevereiro e 2 de março, a professores, funcionários e alunos, momentos inesquecíveis, agraciando-os no dia do seu aniversário com poemas, música e balões.
A turma 10.º D trabalhou arduamente nesta atividade e fez mais felizes os 19 aniversariantes dessa semana. O objetivo é dizer às pessoas da nossa comunidade escolar como são importantes e gravar nas suas memórias momentos agradáveis e inesquecíveis da sua passagem pela nossa escola.
Entre os dias 19 e 23 de fevereiro, a turma 12º U, do curso profissional Animador/a Sociocultural, dinamizou um conjunto de sessões com as turmas do 7.º ano da Escola EB 2,3 Dr. Pedro Barbosa (também do AE de Monserrate), no âmbito da Formação de educadores/as entre pares promovido pelo Gabinete de Atendimento à Família (GAF).
O projeto Overdose de Prevenção tem como objectivo primordial prevenir o consumo de substâncias psicoativas, aumentando o conhecimento dos comportamentos que põem em risco a saúde e desenvolvendo competências de comunica- ção e de autocontrolo.
No último dia, foram implementadas várias atividades que incluíram jogos lúdicos, zumba, esgrima e corfebol, tendo em vista dar a conhecer alternativas saudáveis para a ocupação dos tempos livres.
A participação ativa dos alunos nestas sessões de formação inter-pares, revelou interesse nos assuntos abordados e adesão com empenho à concretização das atividades propostas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.