Correio do Minho

Braga, sábado

- +

O novo mercado municipal de Braga

Não Voam Papagaios de Papel no Céu Azul de Cabul

O novo mercado municipal de Braga

Escreve quem sabe

2020-12-11 às 06h00

Rui Marques Rui Marques

Reabriu no passado dia 5 de dezembro, o renovado Mercado Municipal de Braga. Com um investimento de cerca de 6,5 milhões de euros, englobando a reabilitação do edifício e também do espaço envolvente, este emblemático equipamento municipal ganha uma nova vida ao mesmo tempo que recupera uma marca antiga - a “Praça”.
A necessidade de uma reabilitação profunda do mercado há muito que estava a ser equacionada pelo Município, porque o equipamento tinha atingido um nível de degradação e obsolescência relativamente avançado. O espaço tinha deixado de ser funcional para os produtores e comerciantes que nele operavam e pouco apelativo para uma geração de consumidores mais informados e exigentes.
O projeto de reabilitação do mercado e obras realizadas acautelaram e reforçaram os principais atributos e aspetos funcionais e caraterísticos de uma praça comercial moderna de oferta de produtos alimentares frescos, em conjugação com outras valências e áreas de negócio que o tornam num conjunto comercial apelativo e um verdadeiro espaço âncora de comércio tradicional especializado e de atração turística.
O edifício tornou-se, assim, mais bonito, moderno, funcional e confortável. Os corredores tornaram-se mais amplos e agradáveis de percorrer. A implantação e distribuição harmoniosa dos comerciantes na praça central confere-lhe um colorido, animação e dinamismo verdadeiramente vibrantes, criando condições ótimas para a venda direta. Mas também a retaguarda, em áreas técnicas e logísticas, foi modernizada e adaptada às novas exigências.
Investimento estratégico da reabilitação urbana da cidade, o mercado pode e deve ser visto como um excelente exemplo de um projeto de reabilitação. Senão atente-se:
1 - Projeto bem conceptualizado
O renovado mercado soube respeitar a memória e a função primordial do edifício, conjugando tradição com inovação, modernizando, embelezando e tornando o mercado mais confortável e funcional, sem nunca perder de vista a sua vocação comercial.
Pensado para uma cidade cada vez maior e mais movimentada, que incessantemente procura reforçar a sua atratividade comercial, turística, ambiental e cultural, o mercado afirmar-se-á como um espaço apelativo, funcional e cosmopolita, que junta produtos, serviços, comida e cultura no mesmo local, com uma oferta requintada e muito apelativa para turistas e demais consumidores.
O mercado municipal será também um espaço de excelência para momentos de convívio e bem-estar, com uma oferta comercial que apela à partilha, à degustação, à conversa e à troca de experiências.
2 – Método de seleção e escolha acertada da equipa de projetistas
Grandes obras fazem-se com grandes ideias e grandes projetos e não, necessariamente, com grandes nomes. Braga, infelizmente, já teve a sua dose de projetos malsucedidos desenvolvidos por reputados e conceituados arquitetos, pagos a peso de ouro, que, por alguma razão, acabaram por interpretar mal o espírito dos projetos.
Neste caso, o executivo optou e bem por uma solução económica, equilibrada e de baixo risco. Em 2014, promoveu um concurso de ideias e, perante a qualidade da ideia vencedora, atribuiu à equipa autora dessa ideia a responsabilidade de desenvolver o projeto de reabilitação do edifício. Os jovens arquitetos, fundaram, então, o seu gabinete de arquitetura e com humildade, competência e criatividade foram responsáveis por um projeto de referência da regeneração urbana da cidade.
3 – Prazo da obra e solução para mitigar o impacto da obra
Como se impunha, a obra decorreu num prazo relativamente curto face à complexidade da intervenção a que o edifício foi sujeito, tendo sofrido, apenas, um ligeiro atraso decorrente de uma contestação de um concorrente num procedimento de contratação pública.
Saliente-se a meritória iniciativa do executivo de montar uma estrutura provisória para que os operadores do mercado pudessem continuar a laborar, com as devidas condições e uma localização privilegiada, durante o período de execução da obra, mitigando, deste modo, os impactos da paragem.
4 – Campanha de promoção que evidencia a alma do mercado
Para promover a reabertura do mercado, tem sido levada a cabo, e bem, uma campanha que põe em evidência a verdadeira essência do mercado – os seus comerciantes, homenageando, deste modo, a capacidade de resiliência, superação e adaptação de um conjunto de homens e mulheres que diariamente fazem acontecer o mercado.
O mercado municipal de Braga foi e será um ponto comercial e cultural de referência da cidade e da região; uma verdadeira montra dos mais salutares e genuínos usos, costumes e tradições da produção e cultura minhota e portuguesa.
Com uma localização privilegiada e infraestruturas de apoio de grande qualidade e expressão em áreas envolventes, o mercado concorre, agora, para a reabilitação de uma zona das mais animadas e populares da cidade de Braga.
Braga ganha, por isso, uma nova centralidade, um novo ponto de interesse comercial e turístico, estimulando a economia local, ao mesmo tempo, que promove uma maior ligação da população às suas origens.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

26 Setembro 2021

Decisões que marcam

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho