Correio do Minho

Braga, quarta-feira

O Kit

Semana Europeia da Prevenção de Resíduos

Escreve quem sabe

2010-09-11 às 06h00

Fernando Viana

Não, não tenho saudades da série de televisão “kitt - o justiceiro”, mas parece que anda por aí um novo kit.
Estamos de regresso às crónicas semanais versando temas que sejam susceptíveis de interessar ao consumidor (afinal consumidores somos todos nós).

Terminado o período de férias, é tempo de preparar o ano escolar que se avizinha, pelo menos para muitos. É o início de uma longa azáfama, que envolve a aquisição de material escolar, livros, vestuário, calçado, passes escolares, bem como repensar horários, rotinas, refeições, enfim todo um ciclo de vida que quem tem filhos conhece bem e que, conjugado com a vida profissional de cada um, são um bom exemplo de stress.

Depois, para complicar mais a coisa temos a malfadada crise que se foi instalando e que complica sobremodo o que já não era fácil.
Aqui caberá lançar uma palavra de alerta a pais e encarregados de educação, livreiros e editores para um fenómeno que nos últimos anos foi ganhando algum destaque: Referimo-nos à imposição de compra por parte das livrarias aos alunos e respectivos familiares, de livros escolares “em conjunto”, quer dos chamados kits que incluem o manual adoptado para a disciplina, quer do caderno de exercícios e do CD-Rom, quer ainda de listas inteiras de manuais para determinado ano lectivo.

Essa imposição é considerada ilegal, uma vez que os livros escolares têm um preço de capa estabelecido, o qual resulta de convenções estabelecidas entre o Ministério da Educação e as editoras e a imposição dos kits pode ser considerada uma forma de levar os consumidores a pagar um preço superior pelos livros que necessitam, bem como de serem forçados a adquirir artigos que não querem ou necessitam.

Os livreiros queixam-se por seu lado que quando fazem as encomendas dos manuais escolares, as editoras os obrigam a adquirir os kits, que são pagos de imediato e que querendo devolver o material que não foi vendido (nomeadamente os CD-Rom e os cadernos de exercícios) demoram muito tempo a ver devolvido o respectivo valor. Bem esse é um outro problema a que os consumidores são alheios e que passará por os livreiros efectuarem as devidas participações por eventuais violações das leis da concorrência por parte das editoras à respectiva Autoridade da Concorrência. Aqui também caberá ao consumidor estar preparado para resistir aos argumentos que os livreiros por vezes utilizam para os convencer a adquirir o referido kit.

Caso queira saber mais sobre este tema ou tenha alguma dúvida, não hesite:
Contacte o CIAB - Centro de Informação Mediação e Arbitragem de Consumo (Tribunal Arbitral) na sua sede sita na R. D. Afonso Henriques, nº1 ( Edifício da Junta de Freguesia da Sé ) 4700-030 Braga, ou no respectivo serviço instalado na sua Câmara Municipal (veja também na Internet em www.ciab.pt ).

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

17 Outubro 2018

Orquestra Nacional de Braga

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.