Correio do Minho

Braga,

- +

O impacto da COVID-19 nos fatores de risco cardiovasculares

Onde está o meu peixe

O impacto da COVID-19 nos fatores de risco cardiovasculares

Voz à Saúde

2021-03-09 às 06h00

Ana Catarina Guimarães Ana Catarina Guimarães

A pandemia por COVID-19 foi responsável por implicações profundas ao nível da nossa vida diária, socioeconómica e na nossa saúde.
O controlo das doenças cardiovasculares, que são a principal causa de morte em Portugal, foi comprometido durante a pandemia, pela junção de vários fatores.
Numa primeira fase, as consultas médicas foram canceladas e os serviços de saúde focaram-se nos utentes com COVID-19 e em assegurar os serviços mínimos, como lhes foi exigido. Deste modo, os cuidados aos doentes não-COVID foram adiados. Por outro lado, a população também temia, inicialmente, qualquer interação com os cuidados de saúde, faltando às consultas e recorrendo tardiamente aos serviços em situações de urgência. Como uma grande parte da população portuguesa encontra-se fisicamente confinada, isto condicionou um maior sedentarismo, o aumento da ingestão alimentar e do consumo de álcool. O desemprego, agravado pela pandemia, impossibilitou a aquisição da medicação crónica por parte de alguns doentes. Deste modo, os doentes com hipertensão arterial, diabetes, dislipidemia, obesidade ou excesso de peso assistiram a uma descompensação da sua doença.
Visto que, as doenças cardiovasculares são fator de risco para doença e complicação grave, assim como, maior morbimortalidade por COVID-19, torna-se crucial o acompanhamento e controlo destes fatores. É importante que estes utentes continuem a ter acompanhamento médico, presencial ou se a situação não o permitir, através de teleconsulta, para ser realizado o reforço da importância dos estilos de vida e ajuste da terapêutica. A adoção de uma dieta saudável, a prática de exercício físico regular (que pode ser realizado em casa), o controlo do peso e o cumprimento da medicação habitual são a base para o controlo dos fatores de risco cardiovasculares.
Sendo o estilo de vida um fator modificável, a sua alteração depende apenas de si e da sua determinação.
Assim, lembre-se, cuide de Si! Cuide da Sua Saúde!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho