Correio do Minho

Braga, segunda-feira

O congresso e o nosso olhar no horizonte

A pretexto de coisa alguma

Escreve quem sabe

2013-11-08 às 06h00

Carlos Alberto Pereira

O Congresso Escutismo: educar para a vida no século XXI desafia-nos a uma paragem para revisitarmos as nossas práticas quotidianas e pensarmos se, nesta viagem, qual linha centenária de tempo, soubemos, mantendo a fidelidade ao pensamento fundador, moldar as práticas à paisagem que sistematicamente vai mudando à nossa volta, enquanto “O mundo pula e avança/Como bola colorida/Entre as mãos duma criança”.

Porque, também nós, somos mulheres e homens que sonham, ousamos deixar o conforto do nosso espaço natural para escutar a sociedade que nos acolhe e nos confia o seu bem mais precioso: os seus filhos, para os ajudarmos a percorrer caminhos da cidadania responsável e solidária, de comunidades democráticas e participativas, valorizadores da pessoa humana.
Graças aos convidados que nos honram com a sua presença e com a sua palavra, cada congressista prestará mais atenção ao silêncio da floresta que cresce, do que ao barulho da árvore que cai!

Assim, a conferência de abertura: “Escutismo: educar para a vida no século XXI”, será proferida pelo Professor Doutor Marcelo Rebelo de Sousa, do Instituto de Ciências Jurídico-Políticas e da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.
O primeiro painel, subordinado à temática “o papel Escutismo na Igreja” terá uma intervenção inicial proferida por sua Excelência Reverendíssima, o senhor D. Joaquim Mendes, Vice-Presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família. Neste mesmo painel, o Professor Doutor João Duque, da UCP - Braga, refletirá sobre “A Igreja e os sinais dos tempos. Qual a nossa missão como leigos?” e o Frei Albertino Rodrigues, da Ordem dos Frades Menores - Lisboa, sobre “A lei do escuteiro e a lei de Deus. Desafios ou pistas na educação e testemunho cristão?” O Moderador será o Assistente Nacional do CNE, o padre Luís Marinho.

O segundo painel levar-nos-á a refletir sobre “o papel Escutismo na Igreja”, sendo o Professor Doutor Manuel Joaquim Azevedo, Diretor do Centro de Estudos em Desenvolvimento Humano, da UCP - Porto, a proferir a intervenção inicial. Seguindo-se o Professor Doutor Marcelino Sousa Lopes, da UTAD que abordará a vertente “A Educação e a Educação não formal. Desafio, utopia ou compromisso?”. O Professor Doutor José Augusto Palhares, da UM, levará o congresso a refletir sobre “O escutismo como educação não formal. Que sentidos à participação num percurso com 90 anos?”. Enquanto que a Dra. Maria Helena Guerra, na qualidade de Chefe Regional de Évora, falará sobre “O agrupamento, comunidade educativa local. Centralidade ou periferia na metodologia escutista?”. O painel será moderado pelo Dr. José Gonçalo Regalado, Diretor da Agência Nacional Juventude em Ação.

O terceiro painel “o papel Escutismo na Sociedade”, terá a intervenção inicial proferida pelo Doutor Rui Marques, Presidente da Direção do Instituto Padre António Vieira - Lisboa, sendo que a Professora Doutora Susana Fonseca Carvalhosa, ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa e Chefe do Agrupamento nº 73, Carnide - Lisboa, refletirá sobre “A sociedade do século XXI. Que diálogos e que interações na e para a formação de jovens?”. A última intervenção deste painel está a cargo do Engenheiro João Paulo Feijó, Consultor em Qualidade, Capital Humano e Gestão da Mudança e antigo Vice-Presidente do Comité Europeu da Organização Mundial do Escutismo (1987-1995) que se referirá à problemática “O Escutismo Católico Português. Da realidade a uma visão (de e) com futuro.” A moderação do painel ficará a cargo da Dra. Alexandra Viana Lopes, Presidente da Conferência Nacional das Associações de Apostolado dos Leigos e Juiz do Tribunal de Família e Menores de Lisboa.

Complementam este programa de conferencias o Sarau Escutista: (re)Encontros, a realizar na Cordoaria Nacional, onde teremos a possibilidade de voltar ver, de novo juntos, dois dos mais marcantes projetos do CNE: o Projeto Grupo das Terças e o Projeto Rumos.
No domingo, ainda na Cordoaria Nacional, teremos um momento determinante: a Celebração Eucarística, presidida por sua Eminência o Patriarca de Lisboa e Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, D. Manuel Clemente, que, com certeza, aprofundará a temática geral numa perspectiva catequética.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

21 Outubro 2018

A vida não é um cliché

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.