Correio do Minho

Braga, terça-feira

Natal mais sustentável e com reduzida pegada ecológica

Duas gerações de excelência

Escreve quem sabe

2017-12-16 às 06h00

Ana Cristina Costa

O que se associa muitas vezes ao período de Natal? Consumo, compras, desperdício! Ora “Natal” deveria ser partilha, solidariedade, entreajuda.
Eis alguns conselhos visando um Natal mais sustentável, que preserva a saúde de cada um e do Planeta.
- Nos dias seguintes ao Dia de Natal é assustadora a quantidade de embalagens que, na melhor das hipóteses, aparecem nos ecopontos e, ainda, infelizmente, junto dos resíduos indiferenciados. Quantas vezes se embrulham as prendas e ainda se colocam em sacos, para não contar as caixas e outros invólucros! Vamos minimizar! Se fazemos questão em embrulhar façamos sempre que possível em papel já usado, em sacos de papel já usados, usemos jornais e personalizemos com um cartão feito por nós!
- E as ofertas em si? Quantas vezes são tão pouco adequadas que são logo esquecidas num armário! Ou tão frágeis que partem/avariam pouco tempo depois, ficando sem conserto! Vamos antes escolher criteriosamente para a pessoa em causa. Elabore previamente uma lista, pois ao fazê-lo não irá comprar em excesso, optando por produtos robustos, sempre que possível sem pilhas e com materiais reciclados e/ou recicláveis, passíveis de troca. Além disso deve-se dar preferência a produtos úteis, educativos e inócuos em termos de substâncias perigosas, e resistir à publicidade enganosa, optando por produtos de origem nacional e, nos alimentares, de produção biológica. Ou, melhor ainda, feitos por nós: um cachecol em tricot, um avental costurado, um álbum com fotos dos melhores momentos, um livro das receitas preferidas da família, um calendário ilustrado com momentos únicos do ano anterior! Outra opção é oferecer objetos que levam à minimização e resíduos ao longo do ano seguinte: uma marmita para levar o almoço para o trabalho, um carregador de pilhas, um candeeiro solar, uma lanterna que se carrega dando à manivela, um simples saco de compras de tecido resistente para andar na bolsa, um capacete de bicicleta, um passe de transportes públicos! Ou simples cartões que nos comprometem a passear o cão, a lavar o carro, a fazer um bolo, a tomar conta dos filhos de uns amigos para eles poderem ter uma noite romântica…Se não sabe o que oferecer, uma opção poderá ser a oferta de uma inscrição como sócio de associações cívicas (como por ex. Associações de Defesa do Ambiente) ou de um donativo a uma determinada causa ou projeto (apadrinhando um animal selvagem, por ex.). Comprar em 2.ª mão também é viável, desde, que o produto esteja em condições. Oferecer livros ou ebooks sobre a sustentabilidade e com truques práticos para um estilo de vida mais sustentável é outra boa escolha!
- Quanto aos cartões de Natal, que cada vez menos se usam, pode fazê-los em versão digital e remetê-los, reduzindo a pegada ecológica, por e-mail. Ou pode também telefonar pois assim há mais interação e recebe novidades dos seus amigos e familiares.
- No que diz respeito às árvores de Natal e demais decorações, utilize as do ano anterior e as árvores podem ser criadas com objetos, feitas à base de livros ou aplicadas na parede, opções válidas e que dão um espírito mais original à quadra. As decorações elabore-as em família, com materiais reutilizados e/ou apanhados num passeio ao campo ou bosque (pinhas, bugalhos, etc.). Este ano em particular, recorde-se que não pode cortar pinheiros! E os cortes de azevinhos implicam licença do ICNF. Cuidado com a iluminação, opte por LED e desligue sempre que não esteja em casa.
- Para a refeição privilegie os produtos locais/regionais/nacionais (ananás dos Açores), a granel (evitando as embalagens basta levar frascos ou sacos de pano/reutilizáveis), no comércio tradicional (reduzindo a pegada de carbono associada ao transporte) e, se possível, de origem biológica e/ou provenientes de redes de comércio justo (ex. chocolates, chá, café). Aposte nos produtos de origem vegetal mas, se quer respeitar a tradição, escolha bacalhau e polvo de média ou grande dimensão.
- Na mesa em si, o melhor é optar por atoalhados de tecido, que são laváveis e não descartáveis.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

23 Outubro 2018

Três razões

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.