Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +

“Meter-se onde não é chamado”

Um amor incondicional ou dar sem ter que receber

 “Meter-se onde não é chamado”

Ideias

2019-03-24 às 06h00

Cristina Fontes Cristina Fontes

“Meter” mete-se muitas vezes onde não é chamado e mete-nos em sarilhos.
Este verbo tornou-se omnipresente. Passei algumas semanas a recolher frases que se socorrem do verbo “meter”, esquecendo todos os outros, muito mais adequados, e que o poderiam facilmente substituir. Obviamente que há expressões idiomáticas que usam o “meter” e que, dificilmente, teriam a mesma ênfase, como por exemplo: “meter a mão na consciência”.
Na escola, é frequente ouvir, da boca dos alunos, frases como: “ó setora, vai meter isto no teste?”; “Ó setora, eu sabia, mas meti mal.”; “Ó setora, ele está a meter-se comigo.”; Ó setora, meta um filme. Daqueles que metem carros e perseguições.”; “Ó setora, posso meter o estojo na mochila?”; “Ó setora, o professor X mete medo.”; “ Ó setora, posso meter uma cunha?”; “Ó setora, a Y mete-me inveja. Só tira cincos.”; “Ó setora, meti água no teste”; “Ó setora, meti os pés pelas mãos.” “Ó setora, o meu teste mete pena.”
Uma saída implica “metermo-nos no carro”, “meter as chaves”, “meter o cinto”, “meter a primeira” e “metermo-nos no trânsito.” Às vezes, não há onde estacionar e temos de “meter em segunda fila” ou “meter em cima do passeio”. No regresso, temos de “meter o carro na garagem.”
Em seguida, “metemo-nos no elevador”, “metemos a chave na porta” e entramos. Chegou a hora de cuidar dos filhos e do jantar. O pai avisa o pequeno para não “meter o dedo no nariz” e “mete-o na banheira para lhe dar banho”. Enquanto isso, o mais velho “mete a mesa” para não se “meter em maus lençóis” com a mãe. Depois, senta-se no sofá, e começa a “meter likes” nas publicações do Instagram. O irmão senta-se a seu lado e volta a “meter o pé na poça” por “meter o dedo no nariz”.
– Ó pai, ele está a “meter nojo”.
- “Mete-te na tua vida”, “não metas o nariz onde não és chamado”, senão conto ao pai que usas o telemóvel à noite.
Longe de “meter a viola no saco”, o mais velho decide “meter-se ao barulho”, pois o irmão “meteu-se a jeito”.
O pai “mete-se no meio” da discussão e “mete-os na ordem”. Eles “nem sabem onde se meter”. “Metem o rabo entre as pernas”, pedem desculpa e “metem-se na cama”.
Já estão fartos? “Metam mãos à obra” e procurem substituir o verbo “meter” por alguns destes: colocar, pôr, integrar, envolver, introduzir, inserir, enfiar, estacionar, fazer.
“Mete dó” tanto “meter”.
Boa semana.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

12 Agosto 2019

Penso logo opino

02 Agosto 2019

Privilégios docentes

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.