Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +

Mentira social e a mitomania

A lampreia na Escola, uma aluna especial!

Mentira social e a mitomania

Escreve quem sabe

2020-02-23 às 06h00

Joana Silva Joana Silva

Desde pequenos que aprendemos que mentir é feio e mau. Mentir é enganar. Algo inaceitável pela sociedade. Todavia todos já mentimos, pelo menos uma vez. Mas…poderá ser a mentira um transtorno mental!? A resposta é afirmativa. Chama-se de mitomania, quando a mentira torna-se permanente e habitual na rotina diária de alguém. O/a mitomaníaco, tende a fantasiar através da mentira, como por exemplo, na seguinte situação, em que trabalha numa empresa normal, mas afirma que trabalha como espião para uma entidade internacional. O/a mitomaníaco/a não tem por intenção lesar ou conseguir alguma coisa com a “invenção de histórias”, apenas quer e tem o desejo de ser reconhecido/a como alguém importante e útil na sociedade. Utiliza a mentira, para muitas vezes esconder sofrimentos passados e como deseja muito, “fugir” a essas memórias, “transforma-as” em atos imaginários em que é o/a protagonista super-herói ou a vitima que a muito custo conseguiu “vencer a batalha”. Não obstante, há também a mentira social. E a mentira social não é doença. A pessoa mente com o objetivo de conseguir algo. Por exemplo, se chegou atrasado porque adormeceu, mente e afirma que apanhou um acidente pelo caminho. Se porventura não concluiu um trabalho, mente e afirma que o tinha pronto mas que o dispositivo onde guardou não funciona, mas está lá. No âmbito social, a pessoa que não quer socializar com ninguém , mente e afirma que se encontra ausente entre outras situações.

Há quem seja muito perspicaz a descobrir mentiras, todavia há quem não o consiga fazer no imediato. Há quem minta muito mal, e há quem seja um/a profissional a mentir. Curiosamente, aqueles que são “profissionais a mentir” acreditam nas suas próprias mentiras e essa confiança no que está a dizer, engana muitíssimo bem. Mas em algum momento, este/a “profissional” vai “tropeçar”. Sabe porquê? Porque o nosso cérebro não consegue mentir, devido à não assimetria (equilíbrio) da linguagem verbal com a linguagem não-verbal. Confuso/a? A título de exemplo, suponha que aborda um conhecido seu e pergunta-lhe, “Estás com muita pressa, precisava de conversar contigo e é muito importante. Ao que o conhecido responde, “Estás à vontade, tenho muito tempo.”

Passado alguns minutos, essa mesma pessoa não pára de olhar para o relógio com insistência e as pernas começam a ficar agitadas como se estivesse com muita pressa. Isto para dizer, que as palavras podem enganar, mas o nosso corpo dá sempre sinais que não é verdade, porque o cérebro não consegue mentir. Em qualquer uma das situações, seja mentir por mentir para conseguir algo, seja por doença em si, mentir acarreta  várias consequências para a integridade e carácter da pessoa. Tornam-se pessoas “aos olhos dos outros” poucos credíveis e que a curto prazo sofrem na sua vida sérias consequências, perdem amizades e trabalhos até. Quais as causas psicológicas que levam a mentir? A necessidade de ser aceite e de ter atenção, devido à baixa autoestima. A mentira também pode ser desenvolvida durante a infância, isto porque é na infância que se começa a desenvolver a personalidade e se os progenitores têm “esta tendência ou hábito de mentir” a criança vai aprender este comportamento. Uma outra questão e última, como interpretar os sinais e descobrir a mentira?

Quando alguém conta uma mentira, fica automaticamente concentrado no que está a dizer. Se o discurso for diferente de o contado pela primeira vez, desconfie.  Se a pessoa que narra o acontecimento, hesitar ou gaguejar, desconfie. Se eventualmente você coloca a questão e a pessoa diz "já respondo, deixa me só antes de mais perguntar- te isto..." significa que está a ganhar tempo e está a pensar no que lhe vai dizer.  E ao contrário do que a maioria das pessoas diz e pensa, que um mentiroso, não "encara nos olhos” não é assim tão linear. Há pessoas que quando mentem não desviam o olhar no sentido de analisar se estão a ser credíveis. Muito se fala também que olhar para o lado esquerdo é sinal de mentira. Não é de todo verdade. Olhar para o lado esquerdo, pode ser sinal de "ir atrás na memória- relembrar algo". Quer testar se uma pessoa lhe mente!? Faça este teste simples. Peça a pessoa para lhe contar o sucedido e peça-lhe ao mesmo tempo para lhe ajudar em alguma coisa, como preparar um café enquanto conta. Se a pessoa parar e ficar estática a contar e o corpo estiver direcionado na totalidade para si, significa que o cérebro está concentrado no que está a dizer e para não entrar em contradição... está a mentir. Se porventura contar e continuar a fazer as tarefas está a falar a verdade. 

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

28 Junho 2020

Verbos traiçoeiros

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho