Correio do Minho

Braga, sábado

- +

Leitura, Educação, Cultura e Ambiente - soluções para a nossa sociedade

Como vai ser a proteção do consumidor europeu nos próximos anos

Ideias

2011-05-11 às 06h00

Pedro Machado Pedro Machado

Ler, é recriar visualmente as palavras e também reconstruir o futuro. É dar forma às letras e vida às frases, no qual o encadeamento das mesmas, formam o pensamento. Pensamento este, que nos identifica e questiona, que nos faculta e personifica…

A leitura, deveria ser algo instituído socialmente desde sempre. Grande parte da nossa cultura e educação assenta em práticas constantes de leitura. É através dela que nos formamos, que crescemos psiquicamente e culturalmente. O Homem, enquanto ser social e em constante interacção - consigo e com os demais - é obrigado a pertencer a um grupo, a uma cultura. Este sentimento de pertença surge de uma forma natural, por afinidade ou necessidade, por desejo ou obrigação, porque o Homem, é um ser social intrínseco. A cultura e a educação, une os Homens, as suas formas de pensar, agir e viver em sociedade.

Cada vez mais, o ser humano é obrigado a lidar de mais perto, com diferentes culturas, o que por vezes, origina confrontos étnicos e/ou culturais. Grande parte das guerras são despoletadas, precisamente, por oposição de culturas. O grande desafio que se coloca ao Homem, é viver de forma pacífica com este choque cultural. Acredito que existe espaço para todos, que nos devem incutir, através da educação, respeito e aceitação, pelas diferentes formas de pensar e viver. A educação não é mais do que o simples processo de transmissão de cultura.

Não existem verdades absolutas, nem verdades mais viáveis que outras. Já ouvimos, vezes sem conta, que “tudo é relativo”. O que poderá ser uma verdade incontestável para mim, poderá não o ser para si. Resta-nos respeitar um ao outro. O respeito mútuo, é um valor essencial para a vida em sociedade. Somos seres livres, com liberdade de expressão, no entanto, juntamente com isto, surge outro termo importantíssimo - a responsabilidade. Ser responsável é agir de acordo com os nossos valores éticos, respeitando sempre a liberdade dos outros.

No processo educativo, é de extrema necessidade a transmissão de valores éticos e morais, pois, é através deles, que iremos estabelecer as nossas normas de conduta e vivência em sociedade. O educador, tem um papel fulcral na partilha de conhecimento. É fundamental sabermos como ensinar e motivar os educandos, assim como cativar o seu interesse pela a aprendizagem. É necessário incutir desde o ensino básico, a sede pelo conhecimento, uma vontade exacerbada de querer saber mais, de alimentar o cérebro dia após dia, de procurar respostas, de levantar dúvidas para que no futuro estejamos preparados para os desafios da vida - físicos e intelectuais.

O conhecimento é ilimitado e não estabelece fronteiras. É necessário incentivar, principalmente os mais pequenos, a ler, estudar, investigar, respeitar e desenvolver as suas aptidões mentais para que no futuro, existam seres humanos socialmente mais cultos e culturalmente mais sociais.
A socialização cultural tem que ter como alicerces o ambiente, pois é nele, que o processo de socialização vai decorrer. Vivemos num mundo que, ambientalmente se degrada continuamente. É necessário um grande desenvolvimento a nível da educação ambiental.

Assim, cada vez mais, a educação, e em particular a educação ambiental, terão que estar sempre presentes na nossa cultura. Terá que ser obrigatório a implementação no nosso sistema de ensino, de (mais) disciplinas relacionadas com a cidadania e também com o ambiente. A transmissão de informação, e em particular dos problemas e soluções ambientais, terá que nascer precocemente e ser constante, ao longo da vida. Somente obteremos uma sociedade culturalmente capaz e saudável, proclamando valores ambientais essenciais, com vista o melhoramento das condições de vida e o aproveitamento mais racional dos recursos do nosso planeta.

De nada vale termos uma sociedade com poder financeiro, económico e político, sem ter aquilo que é essencial e que não se compra. Como poderemos ter uma sociedade sem fantasmas, sem a existência de uma forte cultura, intelectualidade e cidadania? De facto, há cada vez mais, uma necessidade de alteração dos paradigmas.
Vamos ler e aprender para todos termos um melhor ambiente.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho