Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +

Estará Braga risco?

A Biblioteca Escolar – Um contributo fundamental para ler o mundo

Escreve quem sabe

2016-11-15 às 06h00

Margarida Pereira Margarida Pereira

Desde o passado sábado, dia 12, a cidade de Braga está em Risco. Um risco que irá preencher as linhas da cidade até dia 20 de Novembro e que faz de Braga uma cidade culturalmente mais rica.
Falamos do primeiro encontro de ilustradores da cidade de Braga, que coloca Braga no risco de inúmeros ilustradores de renome internacional. Braga em Risco conta com inúmeras atividades das mais diversas áreas artísticas, sendo a principal a ilustração.

Com uma exposição central na Casa dos Crivos, intitulada de “Braga 22x22”, nesta exposição podemos perceber como é que outros veem a nossa cidade, desde ver Braga por um canudo, até à chuva que tanto nos caracteriza, cada ilustrador mostra-nos como vê Braga, e permite-nos, através do seu desenho, que vejamos também nós a cidade de várias perspectivas. Partindo desta exposição central, todos são convidados a conhecer as restantes cinco exposições espalhadas por alguns recantos da nossa cidade, como o Museu da Imagem, a antiga Sapataria Arcádia, ou o Posto de Turismo.

Damos particular destaque à exposição presente na Torre de Menagem, com o tema “Rostos da Minha Terra”, uma exposição onde os desenhos são dedicados às personagens mais importantes da história da cidade, tal como André Soares, Dom Diogo de Sousa, Carlos Amarante, Francisco Sanches, entre muitos outros. Para nós, esta exposição é uma excelente forma de dar a conhecer aqueles que tanto fizeram pela nossa cidade, aqueles que desenharam alguns dos nossos principais monumentos ou verdadeiramente prezaram pela conservação do património da cidade. O Braga em Risco é um evento que une a cidade ao património de uma forma única, e que deve realmente ser valorizada.

Um outro momento de grande união da cidade com o seu património foi a segunda Gala Coral - Vozes, uma gala organizada pela Câmara Municipal de Braga e pelo Coro Académico da Universidade do Minho, que levou seis coros amadores ao grandioso palco do Theatro Circo. Na nossa opinião, mais do que uma gala, este espectáculo é uma bonita forma de dignificar todos os coros, que de forma graciosa enriquecem a nossa cidade de vozes e cultura musical, destacando, ainda, o mais precioso dos instrumentos, que é a voz.

Deste modo, podemo-nos aventurar dizer que novembro está a ser um mês pleno de atividades, em que mais uma vez Braga dá provas de ser uma cidade viva, que nunca esquece a sua história. Assim esperamos que Braga saia do Risco, e ouse tornar realidade o tão ansiado pulmão que a cidade merece. O Parque Verde das Sete Fontes, que teima em não sair do papel é uma lacuna que Braga precisa preencher, e que vem sendo eternamente adiada. Será o Parque Verde das Sete Fontes um projeto realmente em Risco?

Queremos acreditar que ainda muito será feito por Braga, e que a união perfeita entre a natureza e o património, sairá por fim do papel, para que, quem sabe, já numa segunda edição do Braga em Risco, Braga seja desenhada com mais tons de verde, e não nos tons cinzentos que outrora pintaram a cidade.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

28 Novembro 2020

Ilusão verde

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho