Correio do Minho

Braga,

ESCA - dois momentos

Escrever e falar bem Português

Voz às Escolas

2012-06-18 às 06h00

Hortense Lopes dos Santos

Há momentos na vida de uma escola (e de uma Diretora de Escola, já agora) especialmente compensadores, quando o labor educativo nos faz sentir e dizer bem alto “É para isto que trabalhamos. Assim sim, vale a pena”.

Pois bem, foi isto que aconteceu em dois momentos da vida da ESCA que, singelamente, entendemos hoje partilhar com os leitores do Correio do Minho.
A 23 de Maio, na Reitoria da Universidade do Minho, foram atribuídas as ‘Bolsas de Excelência’.
Tratou-se de uma cerimónia que teve lugar no Salão Nobre, presidida pelo Reitor, Professor Doutor António Cunha, e que contou com a presença de vários diretores de Departamento, diretores de escolas, para além dos alunos distinguidos.

As ‘Bolsas de Excelência’ têm caráter pecuniário, equivalente ao valor da propina anual, tendo sido atribuídas pela Reitoria, pela primeira vez, aos alunos detentores da melhor classificação no acesso ao respetivo curso desta universidade.

Entre trinta e nove alunos de diversos cursos (Medicina, Direito, Física, Matemática, Ciências da Computação, Engenharia civil, Engenharia Biomédica, Engenharia Informática, Engenharia Biológica, entre outros) e proveniências, a ESCA foi a escola secundária com maior número de alunos distinguidos (6) , cujas notas variavam entre 17,12 (Engenharia Civil) e 19,47 (Medicina).

Para uma escola que escolheu como um dos lemas do seu Projeto Educativo a célebre frase de Serge Raynal “Quando não existe ambição, a razão de agir desaparece rapidamente, apenas a razão de sobreviver subsiste. É a ambição que permite que a organização se alimente dos objetivos para se desenvolverem”, ver assim reconhecido o mérito dos seus melhores entre os melhores é, além de gratificante, reforçador de uma identidade adquirida há muito tempo e que a ESCA tem sabido preservar.

O segundo momento aconteceu durante os Conselhos de Turma do 12.º ano tendo como destinatários os docentes do Conselho da turma F. Em forma de ‘notas’, os Encarregados de Educação desta turma fizeram chegar aos docentes o seu agradecimento e “reconhecimento pelo trabalho desenvolvido ao longo de três anos extensivo a toda a comunidade educativa, Direção da escola, Auxiliares da Ação Educativa e demais funcionários”. Constatando que o trabalho dos docentes “nem sempre foi reconhecido pelos alunos”, estes Encarregados de Educação acreditam que “nos próximos tempos tal virá a acontecer”.

Todos nós na ESCA acreditamos que assim será quando os nossos alunos por essas vidas fora acabarem por reconhecer que exigência, rigor, empenhamento e abertura (características que nos singularizam) valem sempre a pena.

Pela nossa parte, continuaremos a desenvolver, segundo padrões de exigência e qualidade, as aptidões dos nossos alunos para a aquisição e valorização de saberes e competências que lhes permitam enfrentar o mundo moderno em todas as suas vertentes.
Contamos com toda a comunidade educativa para o conseguirmos.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

17 Setembro 2018

“Bons e maus Papeis”

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.